Fruity Cherry Heart

domingo, 31 de agosto de 2014

The Republic of Thieves


Depois da destruição do Sinspire em Tal Verrar, Locke e Jean viajam para Lashain. Locke está a morrer devido ao veneno que Stragos lhe administrou no vinho. Jean procura os mais prestigiados alquimistas para tentar remover o veneno, que em poucos dias matará Locke....mas nenhum consegue um antídoto.

Subitamente, recebem uma visita inesperada de um Bondsmage, em troca da vida de Locke, estes dois Gentlemen Bastards têm de resolver uma votação a favor da fação política deste Bondsmage, sem mais alternativas, aceitam! Viajam até Karthain.

Patience, é a Bondsmage e mãe do Falconer. A fação política que deverá ganhar é a Deep Roots, pois a outra fação contratou também uma 'Gentleman Bastard'...Sabetha, o amor da vida de Locke.

Este livro tem 3 cenários de intriga; a votação, a conspiração dos Bondsmage e a vida dos Gentleman Bastards no passado. Portanto o autor esmerou-se com 3 Plots ao mesmo tempo.

Ganha a fação de Patience, esta mata os Bondsmage que estão contra ela,os que poderão colocar o Mundo em perigo. Deixa o Falconer (seu filho) em Karthain, com um criado....mas Falconer consegue com a mente, restaurar os dedos e a língua com água de prata, mata Patience e fica à solta.
Os Gentleman Bastards põem-se a caminho de Camorra, Sabetha fugiu sem deixar traço, pois Patience disse-lhes quem era Locke, um Bondsmage.....

É uma leitura absolutamente fascinante, genial e brilhante, os pormenores descritivos são Monumentais, eu diria mesmo que Lynch se excedeu a si próprio. Excelente leitura. Espero que Lynch escreva a continuação...

terça-feira, 26 de agosto de 2014

A Casa de Gaian


O último livro da trilogia Os Pilares do Mundo. Na derradeira aposta para exterminar as bruxas e o povo Fae, Adolfo o Inquisidor, tem uma nova arma, a deformação das almas das bruxas que mata, tornando-as em seres das trevas horrendos e mortais.

O povo Fae e as bruxas (ambos formam a Casa de gaian) juntam forças para combater Adolfo.No fim do livro lá vem a batalha do costume, onde Adolfo perde sem grande esforço por parte dos Fae e das bruxas.

A história é interessante, lê-se bem, mas a escritora neste último livro, deixa muitas pontas soltas, personagens que aparecem que não são coerentes com a história, ou seja, não fazem lá falta nenhuma, não têm nenhum papel, e depois desaparecem sem deixar rasto. O vocabulário usado, é do mundo presente, e não do mundo da mitologia Irlandesa, o que por sua vez, 'parte' a história. 

Quanto aos locais, habitações, vestuário, paisagens, não há descrição dos mesmos. O livro fica assim mais  'pobre' em conteúdo.

Este livro, poderia ser muito mais interessante, se a autora pesquisasse mais os mitos antigos,assim é uma mistura sem 'sal'. Iates,colégios internos, livrarias, papel, livros, escritores,casas de banho, whiskey, vidro, açúcar??? No tempo dos clãs??

 

Gostei do argumento , dos 3 cenários que ela desenvolveu, mas não me parece que vá comprar mais nada desta autora.
Classificação - 3 estrelas OK (more or less)

domingo, 24 de agosto de 2014

The Ocean at the end of the Lane



Este livro surpreendeu-me pela positiva. Nunca li nada deste género, nem sei como classificá-lo. Bizarro é a palavra que me vem à ideia.

Começa com a mudança de um família para uma nova casa. Perto dali existe uma quinta com uma pequena família só de mulheres, avó,mãe e filha. Depois de um suicídio, a jovem Lettie, toma conta do nosso protagonista, que tem apenas 7 anos de idade. Esta família é estranha, pois sabem tudo acerca do suicídio, inclusive o que o suicida pensou antes de morrer.


O pequeno acha estranho elas saberem tanto, mas esse suicídio, desencadeia a libertação dos poderes do mal, esse 'mal', está dentro do pequeno, e vai ser uma luta bizarra para vencer as estranhas criaturas...


O autor não dá nome ao protagonista, nem à sua família, é por isso mais difícil, de fazer a sinopse. É uma leitura fascinante. Excelente livro. Leiam!


sábado, 23 de agosto de 2014

Luz e Sombras

O 2º livro da trilogia dos Pilares da Terra, continua a saga das bruxas , do povo Fae e dos Inquisidores, estes últimos têm como finalidade matar os Fae e as bruxas.

Este 2º livro é melhor que o 1º. Em consequência dos caminhos para o reino dos Fae estarem a fechar, este povo associa-se às bruxas, para assim fazerem frente aos Inquisidore e aos seus lacaios.

Adolfo o Inquisidor Mor, está escondido num iate?!!, tenta mais uma das suas investidas, cria criaturas negras, monstros que se escondem nas sombras das árvore e matam tudo o que se lhes atravessa no caminho, mas os Fae e as bruxas estão preparados, Liam lança ondas de chamas, Breanna manipula o ar, os dois irmãos conseguem assim resistir à investida dos Mantos Negros.

Mas Adolfo tem um plano, conseguir um exército....

Este livro foi  melhor que o primeiro, mais ação e magia, mas não tem descrições. A escritora deveria ser mais meticulosa. Um livro muito pobre em tudo.

As Raparigas Cintilantes


Um thriller diferente do que estamos habituados, um assassino que não deixa rasto. Ele escolhe as suas vítimas no passado, e volta no futuro para as matar. 

Enquanto vagueia pela cidade, encontra uma casa num beco, uma barraca para se esconder, entra, mas lá dentro a casa está excecionalmente apetrechada. Salas de luxo, quarto aquecido, cozinha com comida e bebida...fica e adormece. Quando sai pela manhã, não está em 1994, está em 1932....perfeito para escolher a vítima..

Há uma das vítimas que não morre, Kirby, mas ele volta para acabar o serviço, mas Kirby está à espera dele...

Um livro diferente, com um assassino que nunca será apanhado pela Lei, pois viaja no tempo. 

Gostei bastante, é violento, pois o leitor vê o crime tal e qual como o criminoso o comete. Um bom livro.

Coraline

Coraline, é a história macabra, de uma menina que se muda com os pais para uma nova casa. Coraline, gosta de explorar a nova casa, e tudo o que a rodeia.

Dentro da casa há uma porta, que quando aberta não tem outra sala do lado, somente uma parede de tijolos. Uma vez, Coraline levanta-se de noite e tenta abrir a porta, pareceu-lhe ouvir ruídos do outro lado. Quando abre a porta, vê um corredor escuro, decide avançar, ouve vozes, parece a voz da mãe, corre por ali fora e vê uma casa igual à sua, vê também os seus 'outros pais', mas com um aspeto bizarro, em vez de olhos têm botões pretos cozidos na cara....estes seres são muito simpáticos para Coraline, afirmando que terá tudo o que quiser se ficar com eles, os seus 'outros pais'. Coraline está tentada a aceitar....mas volta pela corredor sombrio à sua verdadeira casa.

Os seus pais verdadeiros parecem não lhe dar muita atenção, estão sempre a trabalhar. Ela decide nesse dia , visitar os seus 'outros pais', abre a porta e corre pelo corredor, e lá estavam eles prontos para a receber. Quando se cansa e decide voltar à sua verdadeira casa, não consegue, a sua 'outra mãe' escondeu a chave que dá acesso ao corredor escuro....Coraline ficará presa ali numa espécie de limbo....

Gostei bastante deste livro, a escrita é de grande qualidade e a história é original e simples, com o tal 'toque ' de macabro. Um livro para se ter à cabeceira. Muito Bom

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Hunger Games - Catching Fire excerto

video

Foo'ls Assassin



Neste começo de trilogia, Hobb, introduz um novo/a personagem, a história é mais ou menos isso, a construção desse  personagem. A filha de Fitz, Bee Farseer, assim foi nomeada, este ser minúsculo que dá vida a Withywoods. 

Fitz tenta ficar longe de Torre do Cervo, mas Molly morre pouco depois do parto (2 anos de gravidez?!!!) e a criança que nasce não parece ser 'normal'. Nettle quer à força que a irmã seja educada por ela, perto de Kettriken. 

Mas Bee, revela mais tarde as suas aptidões de Excelência....pequena, pálida , olhos azuis transparentes e cabelo loiro, quase branco....já perceberam???

Numa viagem à vila, para comprara provisões de Inverno, Bee sai da taberna e vê um mendigo a ser enxotado por uma mulher, ajuda-o e o mendigo pega-lhe na mão,nesse preciso momento, Fitz sai à rua para a procurar, julgando que a criança estava a ser molestada, Fitz apunhala o mendigo, Fitz apunhala o Fool.....


E não conto mais....

Hobb não adiantou muito a história, este livro é a estrutura do que vem a seguir, mas que promete , promete, pois o leitor ficou sem saber quem é Bee Farseer. Muito Bom

domingo, 17 de agosto de 2014

A Passagem


A Passagem, conta-nos a história dum possível fim de civilização. No presente, algures nas florestas da Bolívia, levam-se a cabo algumas experiências com um certo tipo de vírus, como cobaias humanas, são escolhidos 12 criminosos condenados à morte, e uma criança de 6 anos Amy, abandonada num abrigo, gerido por freiras. A escolha da criança, não agrada a ninguém, os agentes destinados a levarem-na para o centro de contaminação, acabam por desertar e fugir, mas são apanhados, e Amy é injetada com o vírus. Está a morrer, ao contrário dos outros, não se 'transforma' num monstro.

Estão num departamento especial para o efeito, longe de tudo e todos, estão fechados  num bunker. Ali o tempo parou.

Um dos virais (assim se chamam as criaturas contaminadas), 'fala' por pensamento com o seu carcereiro, este acaba por lhe abrir a porta, e a partir daqui é o caos, esse viral solta os outros e a matança começa. Os humanos que não morrem, transformam-se em virais. Wolfgast o agente que tentou proteger Amy, consegue fugir levando a criança adormecida, mais tarde Amy acorda e recupera.

100 anos depois, onde já quase nada resta. Colónias de humanos aqui e ali, sobrevivendo aos virais. Amy é uma arma contra os virais...não cresce, não adoece, 100 anos depois tem o aspeto de uma criança de 14 anos, embora já tenha 106.

Este livro é uma aventura alucinante, há sempre coisas a acontecer, a mudar, tudo muda, há colónias  de humanos que se associam aos virais, não sendo nem uma coisa nem outra, há os heróis assim como Alicia e Peter, Michael e Lore, Sara e Hollis....alguns dos sobreviventes que acreditam ter morto os DOZE, depois duma explosão monumental..

Esqueceram-se do ZERO....

Não tenho classificaçãp, este livro foi o melhor que li nos últimos anos.
A Passagem (2 livros), Os doze (1 livro) e já fiz pre-order do 3º, The City of Mirrors', que sai em outubro.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Os Jogos Da Fome (trilogia)


Esta trilogia, coloca-nos num futuro pós-apocalíptico. Nas ruínas do agora EUA, existe a nação de Panem, com 12 distritos adjacentes e o Capitol, onde se concentram os orgãos do poder e a população mais 'endinheirada'.

O Capitol mantém o Poder, forçando os distritos a fazer um Jogo, que consiste na escolha aleatória  de 2 habitantes de cada distrito (1 homem e 1 mulher), juntá-los numa 'arena' preparada para o efeito, e onde os eleitos se matam uns aos outros até restar UM.

Quando do sorteio dos tributos dos distrito 12, foi sorteado o nome de Primrose Everdeen, uma criança de 12 anos, não aceitando esta situação, a  irmã mais velha  Katniss Everdeen, voluntariou-se. O outro tributo seria Peeta Mellark.

Os tributos dos 12 distritos são levados para o Capitol, onde são preparados para os jogos. Cada par tem um mentor, no caso de Katniss e Peeta o mentor era Haymitch.
Conseguindo vencer, pois todos os outros estavam mortos, Katniss e Peeta decidem não se matar um ao outro, ou vivem os dois ou morrem os dois. Pegam num punhado de bagas venenosas e preparam-se para as comer...quando  alguém os pronuncia Vencedores. Esta atitude dos jovens, é vista pelo Presidente Snow como um desafio à autoridade.

Descontente com este desafio, são decretados novos jogos, com os tributos vencedores dos jogos passados. Rumores de uma revolução estão já a circular pelos 12 distritos. Desta vez a arena é numa 'paisagem' tropical, perto de uma praia. A matança continua, Katniss repara que o Céu é uma cúpula de energia,pega numa flecha, amarra-a a um cabo eléctrico e dispara para o 'Céu', e aí explode tudo. Katniss pensa que está morta, é levada para fora da arena...

Tudo isto estava planeado pelos rebeldes, o que nos leva ao último livro, vivendo agora no 13º distrito, os rebeldes preparam a derradeira manobra para matar Snow.
Coin a presidente, está agora no comando, preparando as suas tropas para entrar no Capitol e acabar com Snow. Katniss decidiu ser a Voz da revolução, Peeta esteve nas garras de Snow, foi resgatado pelos rebeldes mas tinha sido habilmente torturado contra Katniss, depois de alguns tratamentos na base rebelde, Peeta integrava também a expedição ao Capitol. 

Como se previa, a batalha foi sangrenta, pois o Capitol estava bem guardado. Já perto da casa do presidente Snow, o ataque vem de cima, chovem bombas, Finnick perdeu a vida, Boggs, morreu nos túneis, Katniss olha à sua volta e vê o inacreditável...Prim, grita, Prim, e foi quando uma das bombas tirou a vida à sua irmã, tentando correr para ela , Katniss é também atingida.

Quando acorda, vê que está toda queimada, por sorte não fora atingida na face, recomeça novamente o processo de recuperação. Estavam todos radiantes , Snow fora finalmente capturado, e Coin iria ser proclamada Presidente. Katniss passeava pelo hospital, quis entrar numa sala fechada, pois dali sentia o maldito perfume das rosas. Deixaram-na entrar, aí viu Snow acorrentado, afirmando que 'sentia' muito pela morte da irmã. Katniss tinha pensado e repensado o que estaria Prim a fazer nas tropas rebeldes...Snow afirmou que não tinha sido ele o responsável pelo ataque aéreo, sim, fazia sentido, ele não tinha poder para mandar Prim para a frente de batalha....quando choveram as bombas ninguém retaliou, os rebeldes não dispararam...agora tudo se encaixava, Coin fora a responsável pela morte de Prim e das outras crianças na frente de batalha. 

O Novo conselho reuniu presidido por Coin, queria aprovação da mesa para mandar os filhos dos Inimigos para novos Jogos, iria tudo recomeçar, outro pesadelo. Votaram, e Katniss votou Sim, por Prim, mas seria ela a executar Snow. 
Chega o dia, Katniss tem o seu arco, prepara-se para matar Snow. É conduzida a uma 'praça' , onde estão milhares de pessoas atentas,  para assistir à execução. Katniss pega no arco, Snow tosse e cospe sangue, olha-a nos olhos e ri-se, a corda do arco estica, a flecha solta-se e Coin cai morta da bancada...

Foi uma excelente trilogia, mais pela mensagem que Collins quis transmitir, Poder, seja ele qual fôr, rebelde ou Capitol, é todo igual, o Homem comete sempre os mesmos erros, e isso ha de levar-nos à extinção, ou à morte em vida, sobrevivendo apenas...

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Nefertiti


Nefertiti, um histórico ao mais alto nível. Quando olhei para o nome, Michelle Moran, pensei que a autora era francesa, pois é sabido que eles são os melhores a escrever sobre o Egito, quando li a biografia vi que me tinha enganado, a autora era americana, nascida na Califórnia...pensei na asneira que tinha feito ao comprar o livro. Começei a ler e só parei no fim. Sinceramente, um histórico, riquíssimo em pormenores , eu diria quase impossíveis, pois não há nada sobre a 18ª dinastia egípcia, parece ter sido apagada dos registos históricos. 

O Faraó Amenhotep IV, (conhecido por Akhenaton), sucede a seu pai no trono do Egito com 18 anos de idade, tem já uma esposa Kya, mas como manda o protocolo e por questões de alianças estratégicas é suposto casar com a filha de um nobre, Nefertiti (a bela que chegou), de 14 anos de idade, dotada de uma beleza rara.E foi amor à primeira vista, logo o destino os juntou e uniu para a eternidade. Kya era a 1ª esposa, mas Akhenaton relegou-a para 2º lugar. O novo Faraó tinha um grande plano, acabar com os falsos deuses egípcios, e adorar só UM, Amun o Sol. Muda a capital para Amarna, sempre apoiado por Nefertiti, o que começa a levantar ódios por parte dos sacerdotes e generais, pois o jovem casal quer Paz e Prosperidade. Começa então uma trama para acabar com o Akhenaton.

Um livro tem descrições deslumbrantes, pormenores de excelência,é rico em vocabulário da época faraónica e uma história arrebatadora. Nefertiti, Akhenaton e as 5 filhas de ambos tiveram um triste Fim. Até aos dias de hoje, não foram encontrados nenhuns restos mortais deste faraó e raínhas, só uns rabiscos nas pinturas de parede e o busto de Nefertiti, que se encontra num museu alemão. Foi um histórico Excelente.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

A Cidade dos Deuses Selvagens (trilogia)


Esta trilogia Fantástica da Isabel Allende, é outra obra a não perder. Estes três livros contam as história de Alexander Cold, (no 1º livro com 13 anos de idade), de nacionalidade americana que viaja com a sua avó, Kate Cold, até às florestas proíbidas da Amazónia, onde conhece Nádia Santos uma brasileira cabocla, da mesma idade.

Kate, é reporter do International Geographic, e vai até à amazónia procurar o homem Besta, que segundo a lenda, vive escondido na floresta. Assim se inicia a primeira aventura de Alex e Nádia, que se perdem na floresta e são acolhidos pelo povo da Neblina. Aqui ficam com medo, pois é sabido que muitos povos da amazónia são canibais. Algo acontece que faz a tribo louvar os dois garotos, são então iniciados nas artes da magia, Alex o Jaguar, e Nádia a Águia.  Esta aventura leva-nos ao reino dos mitos da Amazónia, onde a fronteira entre mortos e vivos deixa de existir, onde sonho e realidade não conhecem fronteiras, uma aventura Inesquecível e Misteriosa.

O 2º tal como diz o título, leva os três aventureiros até África, onde são aprisionados por um bruxo que escraviza pigmeus. Outra fantástica aventura, cheia de mitos e lendas, repleta de espíritos e magia. Os poderes dados pelo povo da Neblina, salvam as vidas dos aventureiros.

O 3º livro fecha com chave de Ouro esta trilogia, passado nos Himalaias, onde os 3 aventureiros pretendem alcançar o Dragão de Ouro, incrustado com pedras preciosas, e que segundo a lenda, funcionava como oráculo.  Aqui conhecem novos amigos, que lhes ensinam o sentido da Paz, da simplicidade através dos ensinamentos budistas. Uma aventura repleta de ação, mistério, magia, contada com mestria pela escrita mágica e cativante de Isabel Allende.

Esta trilogia é na verdade uma obra de arte da escrita Fantástica, passada no presente, baseada nos mitos e lendas dos locais onde a ação se desenrola,onde a escritora, esta sim de Topo de Tabela, descreve com mestria os locais, os povos e as suas lendas. A sua escrita cativante, leva-nos a lugares inesquecíveis. Excelente!!!

sábado, 2 de agosto de 2014

Cultos Inominávies


Este livro tem 10 contos absolutamente Fascinantes, foi um livro de oferta da SdE, e eu não sabia mínimamente com o que contar. Agradável surpresa, além duma leitura fabulosa, aprendi e tirei quase todas as dúvidas acerca do povo Picto, que como sabem, habitava na antiga Escócia, e era alvo de muitas histórias de Terror. 

Inclusivamente perguntei à escritora Juliet Marillier, quando da sua vinda à Fnac, e ela mesmo confirmou que a muralha de Adriano, tinha sido construída para prevenir os romanos, dos ataques dos pictos.

O autor leva-nos ao mundo dos povos Antigos , Pictos, Saxões e outros povos de origem desconhecida, que habitavam nas profundezas da Terra, povos reptilianos, capazes de provocar a loucura a quem olhasse para eles, sacrifícios de sangue, tortura, shape shifters e outras criaturas, que povoam as lendas britânicas.

Fiquei absolutamente rendida, pelo conteúdo rico em lendas e crenças, e pelo imaginário do autor, que nos leva a acreditar que tudo aquilo existiu.

Excelente Leitura