Decorated Grey Christmas Tree

domingo, 31 de maio de 2015

Maus


A história de um judeu polaco durante a 2º grande guerra. Novela gráfica, nome 'bonito' para história em quadradinhos ou BD. Os personagens são retratados como 'animais', sendo os judeus ratos , os soldados porcos, Hitler é o gato e os franceses são sapos. Não traz nada de novo, é mais um retrato dos abusos aos judeus. A escrita é simples, e tive muita dificuldade em perceber as falas do pai de Artie, pois sendo ele polaco e contando a história em inglês dos E.U. falava mal o inglês e o tradutor traduziu à letra essas dificuldades. 

Achei a história mal estruturada, mal contada,  pois no decorrer da narrativa, o autor ocultou certos pormenores da vida de seu pai, que surgiram mais tarde e por isso fora de tempo/espaço temporal. Não gosto quando os autores retratam as pessoas como animais. 2 estrelas

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Splintered

Alyssa Gardner, uma jovem de 16 anos aparenta ser normal, mas não o é, pois consegue perceber a linguagem das plantas e dos insectos. Alyssa, ouve vozes também, vozes que a ajudam, vozes que lhe explicam que está 'amaldiçoada', pois é descendente de Alice Liddell, essa mesmo, a que caiu dentro do buraco do coelho e foi parar à Wonderland. Todas as mulheres descendentes de Alice foram amaldiçoadas, cabe a Alyssa descobrir o portal e quebrar a maldição....será que é assim ou talvez não??!!

Uma história arrepiante, no mínimo, com contornos góticos e macabros à mistura. Apesar de ser um YA, a autora brinda-nos com uma excelente narrativa, tendo como pano de fundo a Wonderland de L. Carroll. Numa visão absolutamente fascinante, a autora conta a sua versão de Wonderland, e  quem  Alice era, verdadeiramente. A trama é bastante complexa, assim como o vocabulário utilizado. Estamos perante uma excelência de escrita e de narração. Com twists permanentes, o leitor, nunca sabe o que vai acontecer. Aqui tudo faz sentido, apesar de ser um mundo fantástico e assustador. Os personagens são originais e viciantes. A trama sucede-se e progride a um ritmo alucinante, deixando o leitor de 'boca aberta', com o aparente final. Não posso adiantar mais nada da história, pois seria estragar a surpresa. 5 estrelas.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

A Espada de Shannara

Depois das Grandes Guerras do Passado, o mundo foi destruído. O meio elfo Shea Ohmsford, herdeiro da casa de Shannara, sem o saber, é a única alternativa para salvar o mundo da ameaça do Lorde Feiticeiro. Depois da visita de Allanon, a vida de Shea e do seu meio-irmão Flick muda completamente. 

Iniciam assim uma viagem através do mundo, em busca da espada mágica de Shannara, a eles juntam-se uns quantos anões, dois elfos da casa Evandine e alguns humanos. 

Um livro que não traz nada de original, pareceu-me que estava a reler um parente pobre do Hobbit. Uma estrutura básica, um vocabulário desadequado para um épico,com frases como : 'anos-luz'...então no tempo dos elfos já sabiam a velocidade da luz??? A narrativa é muito muito aborrecida, pois mais de metade do livro é a viagem dos personagens através das terras, onde nada ou pouco acontece.
O objetivo da história é revelado logo de início, e até no título do livro, ou seja; deitar a mão à espada mágica, portanto o factor suspense ficou na gaveta do autor.
O desenvolvimento da história é lento quase nulo, assim como o dos personagens, no entanto, algumas passagens e a forma simples da escrita são agradáveia de ler. 
2.50 estrelas.

O Estranhão 3

Mais uma aventura de Fred Sá ou Estranhão. Álvaro Magalhães, oferece ao leitor, um panorama actual da  sociedade, e não se poupa a críticas.
Livro (imo) de leitura obrigatória para pais e filhos. Com uma narrativa hilariante e inteligente, Álvaro Magalhães, educa e diverte. 5 estrelas.

The Taxidermist's Daughter

1912 - Sussex- Inglaterra

Os habitantes locais reunem-se no átrio da igreja, é a noite das almas penadas, todos estão na expectativa de ver os fantasmas, mas ao bater da meia-noite, uma mulher é assasinada, e ninguém dá por isso. 

Connie Gifford, a filha do taxidermista, encontra o corpo dias depois, perto de sua casa. A jovem não tem memória do seu passado, devido a uma queda das escadas.....
Mas o incidente da igreja, vai trazer de novo um terrível segredo, que alguns habitantes há muito haviam esquecido.

Um thriller magnífico, muito bem estruturado, com uma escrita de excelência.A autora vai revelando novos plots a cada página virada, a atmosfera é sempre de tensão, de suspense e muito negra. Todos os personagens escondem algo terrível, algo do passado que não deveria ter sido 'recordado'. Não posso revelar mais nada. 
Leitura 5 estrelas.

sábado, 9 de maio de 2015

Cada Dia é Um Milagre

Depois do suicídio da sua mulher, o doutor Kurt Krausman decide viajar até às Comores com o seu amigo Hans.São intercetados por um barco de piratas ao largo da costa do Sudão, e feitos prisioneiros. A sua esperança de sairem de África vivos, é quase nula. São espancados, maltratados e torturados, pelo caminho encontram um francês em iguais circunstâncias. Será que algum deles sairá dali vivo??? 

Sem dúvida uma excelente história,os personagens vão viver na pele, as realidades de África, realidades de um mundo que eles desconheciam que existia. África é aqui retratada com o seu explendor; mágica e ao mesmo tempo selvagem, com vida própria. A escrita é magnífica, assim como as descrições, diálogos e narrativa.Os personagens são uma completa revelação, está implícita uma crítica, de que todos nós, podemos ser capazes de quase tudo. O fim, porém , foi algo de previsível, não deixava muitas hipóteses em aberto. Não gostei da forma um tanto apressada, de como Kurt esqueceu a esposa. Também não gostei da volta de Kurt a África, parece um tanto cliché, voltar por causa de uma mulher a um sítio do qual sobreviveu e onde o seu melhor amigo foi selvaticamente assassinado.Será África um continente superior aos outros??? O autor repetia a frase 'isto é África', como se fosse permitido agir de maneira selvagem, o leitor (eu) fica muito mal impressionado com a imagem daquele continente. Por isto 4.60 estrelas.

terça-feira, 5 de maio de 2015

Slated- Reiniciada

Ano 2048- Algures em Inglaterra, perto de Londres

Kyla Davis, tem 16 anos, foi Reiniciada, ou seja, cometeu algo errado e foi-lhe dada a oportunidade de recomeçar um nova vida numa nova familia. Essa nova família tem o pai, a mãe e uma irmã mais velha, Amy, também Reiniciada. Kyla tem memória fotográfica, tem pesadelos e flashes da sua vida anterior, é por isso diferente. Tem que ter cuidado, ou não lhe será dada nova oportunidade. O pai faz demasiadas perguntas, nunca está em casa, e sabe  tudo o que acontece, mesmo quando não está no local e quando não há comunicação possível. A mãe tenta ajudar, mas parece que está sempre um passo à frente dos acontecimentos, Amy a irmã mais velha é de raça negra e ajuda Kyla no que pode. Mas Kyla não confia em ninguém, a sua intuição assim o dita. As pessoas que a prejudicam são levadas, desaparecem...porquê???

Uma excelente  leitura, a escrita é simples mas bem delineada, e a estrutura muito bem definida. O suspense é constante, pois Kyla é uma personagem muito complexa. A personagem principal faz uma progressão sucessiva, e no auge da história, a autora levanta um pouco do véu e termina a 1º parte. 4.80 estrelas.

O Estranhão 2


Mais uma aventura hilariante do Estranhão. Desta vez ele apaixona-se por uma rapariga mais velha que ele, e as coisas não correm bem. Por outro lado, entra um aluno novo para a turma, que ainda consegue ser mais baixo que ele Estranhão, o novo garoto fica logo com a alcunha de tapa-vistas. LooooooooooooooL.

Outra aventura ou desventura, do nosso amigo Estranhão, com uma escrita magnífica, Álvaro Magalhães foca os aspectos do nosso quotidiano, da nossa sociedade e da nossa Educação. leitura recomendada para todos, pais e filhos. 5 estrelas.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

All The Light We Cannot See


Paris 1940

2º Guerra Mundial, duas crianças, dois inimigos, que a guerra acaba por juntar. Marie-Laure vive com o pai em Paris, onde este ocupa o cargo de serralheiro do Museu de História Natural.Por causa do território ocupado, é confiado a Daniel (pai de Marie-Laure), um diamante raro e valioso, que este deverá esconder até ao final da guerra. 

Alemanha 1940

Werner e sua irmã Jutta, vivem num orfanato em Zollverein.Dotado de uma inteligência invulgar, Werner é um génio em electrónica, monta e desmonta rádios com uma perícia de génio. Chamado para reparar um rádio em casa de um oficial alemão, é elogiado pelo mesmo, que lhe arranja de imediato uma viagem até Berlim para se especializar em Ciências Electrónicas. 
Ajuda ao leitor...Werner é um rapaz com o cabelo louro-branco, ou seja, é Albino.


Opinião: Um livro extremamente bem estruturado, muito descritivo, lento e aborrecido. Os capítulos são curtos, temos a versão de Werner e a de Marie-Laure, mas falta-lhe 'alma'. Dá a impressão que estamos a ler um relatório, não uma história de guerra. Se eu fizesse um resumo da história, todos vós, porventura, iriam a correr comprar o livro, pois a sinopse é fabulosa, mas falta-lhe qualquer coisa, não sei bem o quê. O autor não relata a guerra nem as atrocidades, fala simplesmente das pessoas e das suas desventuras, com um final trágico e triste. Não vou dizer mais, não consegui sentir uma única emoção, ao contrário do Book Thief.  3 estrelas pela escrita.