Super Kawaii Cute Cat Kaoani

sábado, 26 de dezembro de 2015

Ruin and Rising

Os Grisha escaparam mais uma vez ao exército negro de Darkling, os 'nichevo'ya', conseguiram esconder-se nas magníficas grutas de White Chapel. Alina a invocadora do Sol, parece ter perdido a capacidade de invocar a luz, está debaixo do chão. Uma vez recuperado o seu poder, o grupo foge mais uma vez, falta um dos amplificadores, o pássaro de fogo, só assim Alina e o seu pequeno grupo de grishas conseguirão vencer o imortal Darkling...mas as coisas correm mal, o exército negro previu todos os passos de Alina, mais um massacre, mais prisioneiros, Nikolai ficou sem exército, foi transformado numa aberração, Alina não tem exército.
 
Um final brilhante para a trilogia, o 1º livro deixou-me um pouco insegura, mas a autora conseguiu traçar uma evolução fabulosa, no 2 e 3º livros. A personagem Alina foi a única que não me cativou, gostei de todos os outros, até do Darkling. A escrita é simples, mas a história é fantástica, obedece ao tal padrão que falei anteriormente, fuga, prisão, fuga, neste último livro, fuga, prisão,fim (óbvio). Adorei o mundo criado pela autora, os efeitos que ela criou são realmente fantásticos e originais. Estes efeitos foram pesquisados pela autora e são realmente possíveis através da Física, e dos conselhos de vários físicos amigos da autora. As críticas negativas sobre este livro tem que ver com o Final, certamente que não vai agradar a muita gente, eu adorei  o twist final, que deixou os fãs de rastos e furiosos com a escritora. 5 estrelas.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

The boy who drew the Future

Blaze e Noah, dois rapazes de 14 anos, vivem na mesma cidade. Blaze viveu no século 19 e Noah na atualidade. Ambos tinham um "poder"... desenhavam o futuro. Blaze era quase um pedinte, a mãe foi acusada, presa e morta por bruxaria, deixando Blaze sozinho e em extrema miséria.

Noah, vive bem com os pais e acabou de se mudar para aquela cidade, jurou aos pais , nunca mais desenhar, mas não conseguiu cumprir a promessa.

O livro é contado na 1° pessoa, por Noah e por Blaze. O tema é interessante, especialmente a narrativa de Blaze. Os capítulos são curtos e a escrita bastante simples. Para ser sincera , a história de Noah, não me cativou. A autora centrou-se mais no dia a dia do adolescente e o tema principal (os desenhos do futuro) ficou relegado para um plano secundário e um pouco confuso. A história de Blaze foi melhor explorada, e mais interessante. Acho que  a autora deveria ter cortado a parte do Noah, não fez lá falta. A evolução da trama também não foi das melhores, e o final da história de Blaze foi uma incógnita, o leitor fica sem saber o que lhe aconteceu. O final da história de Noah também ficou em aberto. Apesar disto tudo, lê-se bem e sempre se aprende qualquer coisa. 3 estrelas.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

The Wolf Wilder

Feo e sua mãe Marina, vivem numa cabana no meio da floresta russa. Devolvem os lobos, domesticados pelos nobres e ricos, ao seu meio ambiente, ou seja, os lobos são ensinados a serem novamente selvagens. Depois de uma alegada queixa de um lavrador, o general Rakov faz um ultimato a Marina, os lobos devolvidos pelos nobres serão abatidos.

Uma história fraca, comparando com Roof Toppers, avança muito lentamente e falta o tal factor  suspense ,que leva o leitor a querer passar a página. A escrita é agradável mas não magnífica, os personagens são simpáticos, mas não me cativaram. O tema da história não foi explorado, o leitor fica na mesma, não sabe como mãe e filha trabalhavam para devolver os lobos ao estado selvagem. Dá a ideia que a autora pega sempre nos personagens matriz ( uma criança com um dos pais, um grupo de crianças que ajuda a personagem principal, um adulto 'secundário' que dá apoio aos restantes) e os insere num cenário diferente, aqui foi o inverno russo, nos Roof Toppers o inverno de Paris e em Girl Savage, no calor de África. A história é idêntica  nos 3 livros e a autora não termina as histórias. 3 estrelas (pela escrita)

sábado, 19 de dezembro de 2015

Lost Christmas

Goose (Richard Thornhill) , depois do acidente dos pais, ficou orfão, vive com Nan a avó que está doente com Alzheimer. Goose tem apenas 10 anos e está revoltado, é um delinquente, rouba e vende depois o loot ao seu tio Frank. O acidente que vitimou os pais, deu origem à destruição de mais dois lares, o do seu tio Frank era um deles.
Num dos seus passeios 'produtivos' Goose olha pelas janelas das casas, e vê uma pulseira de ouro deixada em cima de uma cadeira, entra e rouba a pulseira. Vai de imediato a casa de Frank e tenta obter um bom preço pelo objeto, Goose quer comprar um presente à avó, é quase véspera de Natal. É então, que do nada, mesmo, aparece Anthony, outro vagabundo que toca nas pessoas e vê o passado das mesmas....


Foi uma leitura fabulosa, durante a 1º parte não parei de rir com as expressões idiomáticas do calão inglês. À medida que a trama avança, o tom vai-se tornando mais sério, mais sombrio. A escrita é simples e bonita, a história é (aparentemente) triste. Não estava à espera deste final, é uma mistura de Charles Dickens ( a Xmas Carol) e Neil Gaiman ( Os filhos de Anansi). Leiam vale muito a pena. 5 estrelas

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Siege and Storm

 Alina Starkov é a Invocadora do Sol, depois de perceber o seu poder, Darkling  aprisionou-a para juntar o poder dela ao seu, ele quer ser o senhor do mundo. Alina consegue fugir com Mal, mas as coisas correm mal e os dois fugitivos acabam prisioneiros num navio pirata, cujo capitão é Sturmhound, aliado de Darkling....ou talvez não. A tripulação do navio é constituída por Grishas,o que torna a fuga impossível. Mas o capitão tem muitos trunfos na mão, também ele quer ser o dono do mundo....

Uma leitura excecional, a progressão da personagem principal é brutal, o poder dela é brutal. O mundo criado pela autora é algo de surreal e magnífico. A trama está cheia de twists e cenas fantásticas , as descrições são fenomenais sem entrar em pormenores aborrecidos e desnecessários. Achei curioso o padrão da escritora, ABA ou seja , fuga captura, fuga (nos 2 livros). Acho que resultou a 100%. A escrita é simples , bonita e fluida. Mais uma autora a seguir. 5 estrelas

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

O Príncipe da Neblina


Maximilian Carver, parte de Londres com a família, para uma pequena vila costeira. Querem fugir da guerra e uma vila longe da cidade parece perfeita. Na estação de comboio, Irina a filha mais nova, vê um gato abandonado e decide ficar com ele. Chegados à vila, Max o filho de 12 anos, vai explorar a casa e encontra no jardim, umas estátuas de pedra horrendas, estão dentro de uma estrela de 5 pontas. Uma delas é  de um palhaço, e Max podia jurar que os olhos da estátua se mexeram.

Pouco tempo depois de estarem instalados, o bizarro começa a acontecer, uma maldição que envolvia os antigos donos da casa, vai afetar a família Carter. O Príncipe da Neblina, vem cobrar um favor que não chegou a ser pago.


Uma excelente leitura, a história é fabulosa e a escrita é de grande qualidade. Uma história de terror, que nada tem de juvenil. Foi muito bem estruturada, e avançou num excelente ritmo. Os personagens são cativantes e muito realistas, o cenário de fundo foi igualmente bem escolhido para o desenvolvimento da trama. 4.6 estrelas 

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Um Sino entre Mundos

Sylas Tate, um rapaz de 12 anos vive sozinho com o tio num bairro pobre de Inglaterra, pode mesmo dizer-se, um bairro de barracas. O pai faleceu quando ele era apenas uma criança de meses, a mãe, depois de adoecer e ser levada para um hospital psiquiátrico, faleceu também, assim seu tio lho fez crer. Sylas estava só. Num dos seus passeios pelas barracas da vila, viu  uma loja anteriormente abandonada, mas que agora tinha uma tabuleta e estava arrendada, era a Loja das Coisas. Sylas entrou e viu por lá coisas maravilhosas, o sr. Zhy deu-lhe um livro raro, um livro maravilhoso. A partir daqui, a vida de Sylas mudou, nessa mesma noite ouviu um sino, um sino que mais ninguém ouvia, dirigiu-se para onde vinha o som, e foi transportado para outro universo, um espelho do nosso....


Uma boa leitura, sem dúvida, para os mais pequenos e para os maiores também. A escrita é muito apelativa,lê-se muito bem e o leitor parece não conseguir parar de ler. Não é uma escrita magnífica, pois o autor alonga-se com algum exagero nas mesmas cenas, poderia escrever o mesmo, com menos palavras, se é que me entendem.Criou um mundo muito interessante, não posso dizer que seja original por aí além, mas é uma história bem concebida, e bem conduzida. Os personagens são simpáticos e o autor mistura várias mitologias, a egípcia em particular :) yeah !!

Deparei-me com outro 'problema', não sei se foi da tradução, ou se nas partes fantásticas, o autor não consegue ser muito claro em algumas descrições, francamente não entendi algumas partes das descrições, bonitas sim, mas pouco claras e demasiado eleboradas. A progressão  da história foi muito boa, os twists também foram algo inesperados e surpreendentes. O autor não terminou, o leitor ficou em cliff hanger. 4 estrelas

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

No Coração do Mar


Este livro é uma não ficção da tragédia do baleeiro Essex. Uma leitura aborrecida, pois o autor perde-se com descrições que nada têm que ver com o tema, quando volta ao dito tema, o leitor perdeu o interesse e perdeu também o foco do livro. Não há diálogos, e a escrita parece um relatório, não é bonita nem apelativa.

Não há muito mais a dizer, simplesmente que é mais um livro sobre- valorizado, quantos baleeiros não sucumbiram aos pretextos do oceano??? Por que é que este, é digamos, especial?? 3 estrelas, não pela história, mas pela escrita 

The Winter Folly

A meio da noite ,uma mulher dirige-se a um torreão (folly), sobe a escadaria de pedra e atira-se cá para baixo....

1964 Dorset- Inglaterra
Alexandra tem 19 anos, vai casar, seu pai arranjou-lhe o marido 'perfeito', um militar do regimento da Raínha. Lawrence é um homem bonito e simpático, Alexandra gostou dele, acha que vai ser feliz. Chega a noite de núpcias, Lawrence não sabe o que fazer com Alexandra, o temp passa e o 'problema' persiste.O casal vive agora em Londres, num dos seus passeios matinais, Alexandra encontra um dos seus amigos de infância, Nicky...o atual proprietário do castelo Stirling, e com este encontro Alexandra vai desenterrar uma mentira, uma maldição, e uma tragédia.

Uma excelente leitura, não sou fã da categoria de romance, mas confesso que este livro me agarrou do início ao fim. A história é contada em duas linhas temporais, 1964 e tempo presente. A escrita é bonita e cativante, não há triângulos amorosos, e a autora é extremamente realista nas descrições  dos sentimentos humanos. O livro conta a história de uma família, os Stirlings, proprietários de um castelo  pré-medieval. Devido à maldade humana, duas gerações desta família vivem numa mentira, vivem algo que nunca aconteceu, mas que acham que aconteceu, essa mentira, trouxe tragédia e infortúnio, será que alguém consegue quebrar esta maldição?? 4 estrelas gostei muito desta autora.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Gregor


Gregor, um garoto de 11 anos, vê os seus planos de Verão irem por água abaixo. Desde que o pai desapareceu, a vida da sua família tinha-se tornado muito difícil. A mãe trabalhava a dobrar, a avó tinha problemas de saúde, não havia dinheiro para nada. Portanto, Gregor estava de férias em casa, a tomar conta de Boots a sua irmã de 2 anos. Na sua viagem semanal à cave, para lavar e secar a escassa roupa da família,Gregor leva Boots, vê a bébé afastar-se e deixa de a ouvir, corre e verifica que há um buraco na grelha de ventilação da cave, Boots entrou por aí dentro, Gregor vai buscá-la, caem os dois no que parece ser um corredor de pedra infindável...

Uma grande leitura, surpreendeu-me pela positiva, pois sendo fã de Hunger Games, estava um pouco receosa de ler algo muito diferente. Uma história fantástica que tem lugar no submundo da terra. Um lugar onde vivem humanos, e animais gigantescos. A obra está muito bem estruturada, é simples mas excecional. As descrições do mundo das cavernas é de grande qualidade, e a autora revelou-se uma excelente contadora de histórias. A autora agarra o leitor do princípio ao fim do livro, com twists vários e inesperados. Os personagens são originais, não há triangulo amoroso (yeiiii), enfim uma história fantástica, fantásticamente contada. 4 estrelas