Rainbow Pinwheel Pointer

quarta-feira, 29 de julho de 2015

The Orphan Queen


Wilhelmina e os outros jovens nobres de Aecor refugiam-se num velho palácio em ruínas, Patrik o mais velho, e filho do general Lien está encarregue da sua segurança. Todos procuram vingança, pois as suas famílias foram mortas e as suas casas tomadas pelo reino Indigo. O pai de Wilhelmina, o rei de Aecor, deixava os súbditos usar magia mas o uso desta, alegadamente deixava um rasto...o espectro tóxico, que agora ameaçava os reinos circundantes, tomava formas de  animais e matava. Patrik e o grupo elaborou um plano, Wilhelmina  e Melanie, iriam passar por nobres de um reino recentemente atacado por espectros, e entrar no palácio do reino de Indigo em Skyvale. O que ninguém sabia é que Wil usava magia....

Uma excelente leitura, com uma história mais uma vez original e muito bem escrita. Jodi Meadows, prova o seu  valor como de contadora de histórias. Tendo como cenário os orfãos de um reino perdido,  a autora cria um mundo Fantástico cheio de seres mágicos e mortíferos, que ameaçam os habitantes. Os jovens são dotados de talentos vários, como : roubo, falsificação, luta com inúmeras armas, e uso de magia. De início não entrei bem na história, mas no decorrer da mesma, o plot foi-se intensificando a um ritmo rápido e as surpresas sucederam-se. A autora conduziu muito bem a narrativa e não terminou a história, 1 ano de espera :( 4.70 estrelas 

4 comentários:

  1. Ois,

    Bem fiquei com vontade de ler, deve ser bem bom, espero que publiquem por cá :)

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Esta escritora está a revelar-se uma ótima contadora de histórias

    bjos

    ResponderEliminar
  3. Olá Elsa!

    Olha fiquei com pena de não ter gostado mais do livro e tanto quanto tu gostaste :/
    Acho que tinha as expectativas elevadas e estava à espera de mais.
    Gostei do que li, a história é boa, Jodi Meadows é sem dúvida uma bela contadora e tem óptimas ideias. Mas os personagens não me convenceram (tirando Black Knife e mais para depois de meio/final Wil) e achei previsível, tirando a questão da wraith/espectros (fiquei sem saber muito bem como traduzir, dado a explicação da autora) que me intrigou bastante e ainda intriga. Quero ver como vão fazer para resolver aquela última criação.

    Epá e aquele final?! Fiquei passada de ainda não haver a continuação x)
    Virei e revirei a última página umas 3x a pensar "E agora?! E agoraaa?!"
    Lá temos de esperar até Abril -.-' Logo agora que tinha entrado mesmo na história é que me fazem isto :p

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Olá Rita

    Também achei algumas semelhanças com outros personagens, o andar nos telhados foi uma pequena imitação do Império Final, e houve outras, ela conseguiu dar a volta à trama e gostei especialmente da maneira como ela conta a história. Também te dou razão, não foi uma história Brilhante, mas ainda assim gosto muito da escrita dela. Espero que o 2 livro se prove melhor.

    Bjos :)

    ResponderEliminar