Fruity Cherry Heart

domingo, 28 de agosto de 2016

A Vida de Pi

Piscine Patel é filho do dono do Zoo, o pai de Pi decidiu vender tudo e imigrar para o Canadá, onde tinha familiares. Na viagem de barco para o outro continente, o barco naufraga, Pi vê-se assim no meio do oceano com 1 tigre, 1 hiena e um oragotango...


Mais uma história genial de Martel. Uma viagem alucinante em águas do indico, onde Pi vive uma história extraordinária. Martel tem um grande problema com religião, pois este facto está presente em todos os seus livros. A dualidade das histórias é no minimo fascinante, Martel apresenta-nos duas realidades, o leitor depois escolhe a que mais lhe agradar, mas será que a que mais agrada é a verdadeira??? A escrita é sublime , porém, achei que o autor se repetiu demais no periodo em que Pi esteve à deriva. Algumas dessas partes foram bastante monótonas, mas isto foi um pequeno pormenor. 4.60 estrelas

The beauty of Darkness

Lia sobrevive, Rafe carrega-a nos braços e encontra os seus soldados, Lia é tratada e salva. Mas a guerra é certa, o Komizar também sobreviveu ao golpe fatal de Lia, tem um exército de 120 mil soldados e armas desconhecidas para os outros reinos, avizinha-se uma luta sangrenta...

Este foi para mim o pior livro da trilogia. A escrita perdeu um pouco da qualidade, tem páginas a mais, com coisas que não fazem falta nenhuma à trama. Os personagens também ficaram para trás, digamos, a autora só se focou em Lia, esquecendo-se um pouco dos outros, que tiveram um papel importantíssimo na trama,e aqui são meros peões. A ação é quase inexistente, o ritmo é lento. O fim foi fácil demais, foi previsivel demais. 3 estrelas 

A Rapariga que sabia demais

Melanie tem 10 anos vive numa cela, assim como outro punhado de crianças. O que resta da humanidade, vive em cidades cercadas por muros altos. 


Mais um livro de zombies, é só o que tenho a dizer. A história é como centenas de outras , a escrita não é nada de especial, é aborrecida, não prende o leitor. Os personagens , como é evidente, também não progridem. Este livro não traz nada de novo, contudo, gostei da explicação do autor, quanto à solução dada para a humanidade. Basicamente é um monte de pessoas a fugir dos zombies. 2.5 estrelas

A maldição do Vencedor

Kestrel é filha do general de Valória, mas a jovem não tem a menor pretensão de se alistar. É uma grande estratega, talvez até melhor que seu pai. Num passeio pelas ruas da cidade, Kestrel depara com um leilão de escravos, sem saber porquê licita , sem saber como é dona de um homem...Arin


Confesso que não tinha grandes expectativas em relação a este livro, mas como estava enganada. O ritmo de início é algo lento, mas viciante, a autora mantém o suspense e a vontade de voltar as páginas durante todo o livro. A escrita é simples, bonira e cativante. A progressão dos personagens é fantástica, a partir do meio do livro, as surpresas sucedem-se, culminando com um brutal cliff hanger (já comprei os restantes) a tradução é má, não é novidade, mas de qualquer maneira aconselho muito este livro. 4 estrelas

The Crimson Skew

Sophia chega finalmente a Boston, uma estranha nuvem vermelha, ameaça  destruir o mundo. A viagem às Terras Papais, deu-lhe algumas pistas, mas não o suficiente, o perigo não passou, e a ameaça de guerra é outra certeza.


A conclusão da trilogia foi uma decepção, a narrativa continua lenta, os personagens não evoluem, a autora não deu respostas, a história é confusa, as descrições são pobres e escassas. A escrita é realmente a única coisa boa. A melhor descrição para esta trilogia seria: 3 livros cheios de boas ideias. 2.5 estrelas

The Golden Specific

Sophia Tims descobre através de mapas, o paradeiro de seus pais há muito desaparecidos. Embarca numa viagem que a irá levar a lugares de outra Era, onde tudo pode acontecer.

Este 2º livro não traz grandes surpresas, a autora tem boas ideias, mas é só isso mesmo, ideias, que não consegue desenvolver. Não consigo perceber quem é o personagem principal. O ritmo da história é lento, a escrita é de grande qualidade (faz lembrar a escrita dos autores dos clássicos) mas como referi anteriormente, a autora não desenvolve. O leitor vê-se assim no meio duma trama ( que até poderia ser brilhante) confusa e dispersa, sem respostas. Os personagens também não progridem, e falta o tal elemento de suspense que cola o leitor ao livro, pela escrita e pelas ideias...3 estrelas.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

The Glass Sentence

Sophia Tims vive com o seu tio em Boston, corre o ano de 1891, 100 anos passaram desde a 'Grande Rutura', que deixou o mundo em diferentes Eras, desde a pré-história, até ao futuro. Sophia e Shadrak (seu tio) desenham mapas, mapas muito peculiares, mapas holográficos. Depois do rapto de Shadrack, Sophia empreende numa viagem fantástica ..


Uma boa leitura , sem dúvida, a escrita é simples mas cativante, a história é original e intrigante.A trama desenvolve-se a bom ritmo , num mundo fantástico e por vezes agressivo. Não entendi como eles fazem os mapas, a descrição da pirâmide de vidro também é confusa, então a pirâmide era aberta ou fechada?? De qualquer maneira estou intrigada com estas Eras, e principalmente como e por que é que a tal rutura aconteceu. 4 estrelas

O Homem Duplicado

Tertuliano Máximo Afonso, ilustre professor de História decide ver um filme, pede ajuda ao colega de matemática e leva para casa o filme : Quem Porfia Mata Caça. Qual não é o seu espanto que ao visionar o referido filme, tem noção que um dos personagens é igual a ele próprio...

Seria arrogâmcia da minha parte estar a falar de Saramago, o Génio,o que posso dizer??? A escrita não tem pontuação,  é magnífia . Saramago escreve para dentro, para si, não lhe interessa se o público vai gostar ou não, a sua sabedoria é imensa. 100 estrelas ou mais



The Crimson Crown

Raisa é raínha, o que lhe traz muitos inimigos, inclusive os seus próprios generais. Ela quer unir os povos , quer unir feiticeiros e guardas para combater os invasores dos outros reinos. Bayar (o chefe dos feiticeiros) está decidido a acabar com a linhagem das raínhas e quer colocar um feiticeiro como Rei. 

Cuffs, faz descobertas fundamentais, descobre onde estão guardados os talismãs milenares do rei demónio...como prova dessa descoberta Cuffs traz a coroa de ouro da raínha milenar Hanalea...

Uma conclusão brilhante da saga, brilhante. Não deixou pontas soltas, manteve o suspense até à última página, e foi aumentando a fasquia do interesse. Já disse tudo sobre a escrita nos posts anteriores. Uma escritora a seguir, sem dúvida, uma saga que recomendo a todos os fãs de Harry Potter. 5 estrelas

The Exiled Queen

Raisa toma conhecimento do plano de sua mãe , deverá casar com o mago Micah, nesse mesmo dia, sem aviso prévio portanto. Nada há a fazer ...decide fugir, com a conivência de seu pai Averil e do seu capitão da guarda Amon. Dirige-se para uma academia a sul, onde passará por outra pessoa...Cuffs foi também para a mesma academia, a mando do clã do pai de Raisa.As coisas correm mal....


Mais uma vez a autora brinda-nos com uma excelente história, uma excelente narrativa e uma magnífica estrutura. O que mais sobressai na trama é realmente, o leitor não saber o que a autora pretende, a história vai-se desenrolando e só mesmo no 4º livro é que nos é dado a conhecer o propósito da trama. A escrita é simples mas viciante, eu li os 4 livros de seguida. Os personagens são fantásticos e cativam o leitor. 5 estrelas

quinta-feira, 28 de julho de 2016

The Demon King

Raisa tem 15 anos, é a princesa herdeira do trono, sonha em ser a Raínha Guerreira, tal como Hanalea. Não quer casar com um principe rico e com um cérebro pequeno, a sua aspiração é maior. Mas Raisa é uma princesa mestiça, não é alta, loura e de olhos azuis tal como sua mãe e irmã mais nova, Raisa é pequena, de pele e cabelo escuro e olhos verdes, herdou do pai que pertençe ao clã dos Demonai (tipo indios americanos).  Raisa tem consciência  que os Demonai são contra a maior parte dos costumes de Fellsmarch, onde ela vive, e odeiam os feiticeiros conselheiros de sua mãe a rainha Mariana. A raínha, parece estar sob o feitiço do chefe dos feiticeiros, Bayar, e tem planos de casamento para Raisa, planos tenebrosos...

Cuffs Allister, aka, Han Allister, aka, Hunts Alone (ya tem 3 nomes) deixou a vida de marginal , no vale de Fellsmarch, dedica-se agora a fazer recados para os membros dos clãs. Numa das suas caçadas com Fire Dancer, seu amigo de infância e membro do clã de Marisa Pines,os dois rapazes deparam-se com Micah Bayar, filho do chefe dos feiticeiros, não corre bem e Hunts Alone, aka Cuffs Allistar, aka Hanson Allistar, fica na posse de um poderoso amuleto pertencente ao jovem feiticeiro. A partir daqui a vida de Cuffs torna-se num verdadeiro pesadelo, parece até que a morte o persegue...

Aqui está uma leitura fabulosa, para todas as idades. A escrita é de grande qualidade e viciante. A trama é fenomenal, tem ação, tem romance, tem magia, tem mortes. A história é contada sob o ponto de vista dos dois jovens, Cuffs e Raisa, que não se conhecem ainda. O ritmo é rápido , a escrita fluida e visual. A trama é brutal e os personagens (ao longo da trilogia) têm um progresso maravilhoso. Não tenho mais palavras, a não ser leiam. 5 estrelas



The Gray Wolf Throne

Raisa volta para casa, a sua cabeça está a prémio , é perseguida por uma corja de assassinos. Micah salva-lhe a vida, mas rapta-a em seguida. Raisa consegue fugir e dirige-se ao acampamento de sua avó . Está em segurança...mas as notícias não são boas, a sua mãe Mariana foi morta, Raisa será coroada raínha.

Cuffs, é agora um mago poderoso, só agora sabe que Raisa é Rebecca Morley, e não lhe perdoa esta mentira.  Todavia prometeu a Averil que tomaria conta de Raisa, e torna-se no seu guarda-costas. 

Mais uma excelente sequela, cheia de ação, com uma escrita viciante. A estrutura foi muito bem conseguida, a escrita é inteligente e fluida. Assistimos ao progresso dos personagens principais e secundários, e digo-vos esta saga tem personagens inesquecíveis. Se gostam de magia, feiticeiros, encantamentos, ação, romance , este livro é para todos vós. 5 estrelas

Wayward Pines - Caos

Os habitantes de Pines, sabem toda a verdade, o planeta está destruído e eles são os únicos sobreviventes. Os mantimentos estão a acabar, não há sementes, não há animais, não há nada....a raça humana está na recta final da sua existência, lá fora, para lá das vedações electrificadas estáo os monstros, os nossos futuros eus, que agora são donos e senhores do planeta...


Pois como tudo indicava a humanidade está a chegar aos seus últioms dias....o autor chega ao último livro e deixa o leitor um pouco frustrado com este final, já falei da escrita do autor, da ideia original da obra e da escrita visual. A trilogia foi bastante boa, cheia de ação e twists, o final é que enfim...4.5 estrelas

Wayward Pines - A revolta

Etan Burke, é agora o sherife, já sabe onde está, já sabe o que aconteceu. O vilarejo não passa de uma prisão, onde os humanos que restam são umas marionetas. As montanhas que limitam Pines, estão pejadas de franco-atiradores, ninguém pode sair, se o fizer terá um amorte certa....


Para mim foi o melhor livro da trilogia. A escrita é fluida, e viciante...são aqui revelados os principais mistérios da trilogia. A estrura da obra foi muito bem conseguida, sendo o tema Macabro, uma constante. 5 estrelas

Wayward Pines - Paraíso

Ethan Burke, acorda no meio da estrada, sem saber onde está, ou que lhe aconteceu.Lembra-se que foi procurar os seus parceiros dos serviços secretos a agora acordou aqui num vilarejo de nenhures, onde tudo parece uma mentira...


Uma boa leitura, não estava à espera de encontar uma distopia, sempre pensei que era tudo um 'esquema' mas não era. A escrita é agradável e viciante, bastante visual e a ação é constante. Achei a ideia muito original , diferente das outras distopias. O mistério que envolve o vilarejo, é desconcertante, eu só parei no fim. 4 estrelas

The Muse

1967
Odelle Bastien chegou a Londres com a sua amiga Cynth, são negras e vieram das Ilhas de Trinidad. São olhadas com grande desconfiança pelos londrinos, como seria de espertar, mas a vida começa a correr-lhes bem quando Odelle arranja emprego como secretária numa galeria de arte  em Londres ,e Cynth fica noiva de um londrino.

1937
Temos depois a vida de Olivia, uma jovem de 17 anos que se mudou com a familia para o sul de Espanha. O pai é judeu-austríaco e a mãe é inglesa. Olivia tem como hobby o desenho, mas seu pai negociador de arte, não a valoriza, pelo contrário, substima e troça do talento da jovem, só porque ela é mulher....

Mais uma grande leitura, em torno de um mistério/segredo, mesmo ao jeito de Jessie Burton, tal como fez no Miniaturista. A escrita é de altíssimo nível e viciante. A protagonista, Olivia, é uma personagem formidável, a sua história de vida é brutal. O twist do final (eu esperava tudo menos aquilo) foi de génio. O leitor segue a vida de Olivia ao longo do livro, a sua pequena 'partida'  tornou-se depois numa mentira, que leva à morte de várias pessoas. Odelle Bastien, é um meio para....é uma personagem secundária que quer resolver o mistério. 5 estrelas

A mulher do Tigre

A jovem médica Natália, fica chocada com a morte do avô, não entende o porquê de ir morrer longe de casa. Natália recorda o tempo de infância que passou com o avô , também médico, e decide voltar à sua aldeia natal para apurar certos factos sobre a vida do avô. O mais intrigante é a história do 'homem sem morte' , e Natália vai tentar encontrá-lo...


Uma grande leitura, sem dúvida, um nível de escrita acima dos padrões de escritores da 'moda', para uma escritora ainda na casa dos 20 anos. A história é por si um mundo de histórias, que alternam com o passado e o presente. A mitologia de leste está presente, mas duma forma muito original, a jovem autora personifica o ' deus da morte/ o que conduz as almas para o céu'. A linguagem metafórica da trama está presente em todo o livro, a linha da história é complexa (muito), cabendo ao leitor associar os factos e tentar entendê-los. Este livro é um mundo. Se está à espera de uma história básica, mal escrita, e sem interesse, alegre-se....pois este livro não é para si. 5 estrelas

domingo, 3 de julho de 2016

The Sleeping Prince

O Principe Adormecido  finalmente acordou da maldição, dedica-se agora à pilhagem , assassínio e tortura do  povo  dos reinos vizinhos. Errin uma jovem de 16 anos irmã de Leaf, vive com sua mãe na maior das misérias, numa barraca em Alwyn. O seu único amigo é um estranho de nome Silas. Mas as coisas correm muito mal na localidade de Alwyn, o Sleeping prince está nos arredores para destruir mais esta vila...


Não posso adiantar muito da sinopse, pois passa-se tanta coisa neste pequeno livro, que se torna difícil fazer uma sinopse sem entrar em spoilers. A escrita é de excelente qualidade, a trama é complexa e cheia de twists, cada página virada é uma revelação. Os personagens estão muito bem construídos e evoluem bastante durante todo o livro. A autora mantém sempre um clima dark e misterioso o que torna a leitura viciante e quase hipnótica. Uma excelente escrita e uma excelente história. 5 estrelas

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Beatriz e Virgílio

Henry, um escritor promissor, vê o seu seu livro declinado pelos vários editores. Fica destroçado e decide mudar de vida e de cidade, muda-se então com a esposa para longe e começa uma nova vida. Na nova cidade chegam-lhe cartas dos seus leitores e fãs, entre essas cartas está uma bastante intrigante de um fã que mora ali perto...Henry decide ir visitar o  homem que lhe escreve aquelas cartas tão desconcertantes, quando chega à morada pretendida, Henry constata que o seu admirador é um taxidermista....


Não tenho palavras para descrever este livro. Fenomenal??? Não, não chega. Martel é Genial, através deste pequeno livro, ele faz uma descrição do Holocausto, um livro brutal, desconcertante, belo, com uma escrita de Excelência. A trama tem uma evolução de rara beleza e criatividade. Tem twists vários, que deixam qualquer um a duvidar da sua própria sanidade mental. Não tenho mais palavras e já disse muito. 20 estrelas ( ainda é pouco) 

A Evolução de Calpurnia Tate

Calpurnia Tate tem 11 anos em 1899, dedica-se à observação de insectos no seu quintal. Como não entende o que vê, procura os conselhos de seu avô, criando assim um laço estreito de relação ; avô/neta , na quase mudança de século.

Não gostei da história e não gostei da escrita. É uma história aborrecida e uma escrita simples e igualmente aborrecida. Não há nada a acontecer, (tirando a observação dos bicharocos) e nada que ,por isso, prenda o leitor ao livro. As personagens são desinteressantes, monótonas e sem vida, a própria Callie, tem um comportamento estranho para uma criança de 11 anos.Não há evolução da trama nem ponto alto do livro. 2.5 estrelas (pela capa)

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Gol - The Legends of Ansu

Um continenete às portas da destruição, outrora um grande reino, mas com a sede de poder e glória o território está dividido em 6 províncias, governadas por barões sedentos de sangue e guerra. Numa das provincias do Sul, Lissane Barola (filha de um barão) conhece um jovem poeta/músico, Erun Cade, filho do ferreiro lá da terra. O jovem poeta é um idiota convencido, não sabe fazer nada e pensa casar com Lissane. Claro que o comportamento dos dois jovens não agrada ao Barão, que manda matar o poeta e o ferreiro seu pai....Lissane tenta o suicídio, mas tem uma visão de uma deusa que a ajuda e a aconselha....Erun Cade não morreu, ele será o favoritop dos Deuses, e voltará para vingar o pai e recuperar Lissane, Erun vai tornar-se no homem mais poderoso do Império....será que sim??

Uma leitura magnífica, dos melhores épicos que li nos últimos anos. A escrita é de grande qualidade, e a trama é de cortar a respiração. Os personagens são excecionais, a mistura da história com a mitologia resultou a 100%. Vamos reconhecer aqui personagens como : Bridei, rei dos Pictos, as tribos Celtas da Irlanda, Odin e Frigga , deuses nórdicos, o território de Dalriada, enfim...claro que o autor mudou os nomes, mas as personagens não deixam de ser quem são, ou neste caso, quem foram. Uma leitura brutal e magnífica, com vários POVs , uma estrutura complexa , personagens inesquecíveis. Todos os que gostam de história, mitologia, feitiçaria, erotismo, romance, todos os que gostam de GoT , vão encontrar aqui a vossa próxima leitura. por favor leiam. 5 estrelas porque não posso dar mais

Ready Player One

Estamos no ano 2044, Wade Watts é um jovem que vive nas torres de atrelados com a tia que o acolheu, mas que pouco ou nada faz por ele. Wade dedica o seu tempo a um jogo virtual chamado Oásis, e toda a sua pobre existência é passada no computador, incluindo a 'ida' à escola.Um belo dia é anunciado um novo jogo, quem conseguir chegar ao fim será herdeiro de um Império.

Uma boa leitura, sem dúvida, o relato da vivência do jovem Wade dentro da realidade virtual é excelente. A trama é muito boa, a construção   do mundo real contudo, não me pareceu das melhores. A escrita é correta, mas não é magnífica, tem demasiadas referências aos anos 80, o que a dada altura se torna aborrecido (para mim), pois não sei quase nada sobre essa época, e também não estou nada interessada em saber. A única coisa que reconheci foi a referência ao filme Star Wars, e ainda assim o autor cometeu um erro CRASSO quando escreveu que R2 D2 era do filme StarTrek????????WTF??? A descrição da realidade virtual, baseada nos tais anos 80 foi magistral,eu já fui jogadora de WoW e de dungeons and dragons, espero voltar a instalar o WoW, este jogo salvou-me de uma morte certa,é só isto que vos digo.5 estrelas

domingo, 19 de junho de 2016

The City of Mirrors

Os nossos sobreviventes, vivem agora em paz na localidade de Kerrvile. 20 anos sem virais, as pessoas casam e têm filhos, a vida continua. Alicia partiu, Amy desapareceu, portanto a comunidade não tem notícias delas há 20 anos. Greer sabe, Michael sabe... a pacatez dos sobreviventes está prestes a mudar...os animais começam a desaparecer.

O que posso dizer??? O 3º e último livro da trilogia, A Passagem, é uma obra-prima. A escrita é difícil, o autor volta atrás no tempo para nos explicar  como tudo começou. A estrutura é brilhante e muito bem conseguida, a trama é de tirar a respiração. O desenvolvimento e progressão dos personagens é excelente. Aviso já que o livro tem partes brutais, de extrema violência. As descrições do que resta do mundo são aterradoras e ao mesmo tempo fabulosas. Não digo mais nada pois sei que estão a ler :D. Daria 10 estrelas se pudesse.

The Star Touched Queen

Mayadiva é uma das princesas do harém, é odiada e repudiada por todos. A sua mãe , uma das mulheres do Raja, morreu quando ela nasceu. Maya trazia um horóscopo de morte, Maya é o simbolo da morte, Maya é a Morte. Seu pai decide 'despachá-la' e arranja um casamento com um principe dos arredores, afirmando que assim haverá paz, ahhh mas Maya é avisada, ou casa ou morre.....

Um romance Fabuloso, cheio de misticismo hindú. Aqui não há triângulos amorosos, nem clichés. Uma trama maravilhosa, com descrições maravilhosas. A escrita é magnífica e involvente, eu diria mesmo, sedutora e hipnótica, tal não é a beleza das palavras. Esta é a história de uma princesa e de um principe, que se perderam um do outro. Um está vivo o outro habita entre os vivos e os mortos, será que se voltarão a encontrar ? Foi uma leitura fabulosa. Daria 10 estrelas se pudesse, foi Fenomenal

The Last Star

A 5ª Vaga está a chegar, os nossos protagonistas têm que tentar salvar o mundo da destruição total. Sei que muitos de vocês estão a ler, portanto não vou escrever mais nada na sinopse.

Este livro desapontou MUITO. O ritmo é lento e aborrecido, não acontece grande coisa, excepto nas últimas páginas. O autor deixou muitas pontas soltas e o fim foi escrito às pressa e meio atabalhoado. Os dois primeiros livros foram excelentes este foi a conclusão e sem dúvida o pior livro da trilogia. Mais uma vez assistimos aqui a uma cópia do filme 'O Dia da Independência', quem conhece o filme sabe qual será a solução para o salvamento do mundo. Ainda assim o autor concluiu a trilogia. 3 estrelas

The Crowns Game

Numa pequena ilha perto de S. Petersburgo, Vika treina os seus dotes de encantadora para servir o Tsar Alexander, pensa que quando o seu treino estiver terminado, a sua vida mudará, será reconhecida pelo mundo inteiro.Mas algures ali por perto, outro encantador, Nikolai, tem os mesmos pensamentos. Para grande surpresa de Vika e de seu pai Sergei, o Tsar manda chamar os dois mágicos e ordena-lhes que façam um concurso até à morte , o sobrevivente vencerá....

Parece uma sinopse muito interessante, mas o livro não foi grande coisa. A escrita é algo forçada, e a história é uma cópia de Night Circus, ( O Circo dos Sonhos). Tendo S. Petersburgo como pano de fundo, a ação desenrola-se muito, muito lentamente, a escrita não prende o leitor e o fim  foi... pobre. Lá temos o tal triângulo amoroso, lamechas pra caraças, e cliché até dizer CHEGA, até aos encantamentos feitos pelos protagonistas que ´são, como disse anteriormente, uma cópia do Night Circus.Gostei porém, da descrição de S. Petersburgo, gostei do ambiente que a escritora deu à trama, gostei da descrição da vida  dos cidadãos russos no século 19. 3 estrelas 

Um Dó Li Tá

A detetive Helen Grace, depara-se com o que parece ser um serial killer. As pessoas são raptadas aos pares e não têm nada em comum entre si, não se conhecem, não se relacionam, não moram perto umas das outras ....mas o assassino escolhe-as com uma intenção...

Mais um thriller de grande qualidade. Muito bem estruturado, a história avança com o suspense que lhe é inerente, deixando sempre o leitor intrigado e com sede de terminar o livro. Os personagens contudo, neste género de livro, não evoluem como pessoas. A escrita é simples mas fluida,  o ritmo é rápido, não tendo páginas 'aborrecidas' assim por dizer. Tem cenas brutais, portanto não contem com frases bonitinhas e lamechas, pois aqui não as vão encontrar. Recomendo muito. 4 estrelas

domingo, 29 de maio de 2016

Falling Kingdoms

Ao fim de muitos anos de paz, um incidente que terminou  com o assassínio de um jovem, vai dar início a uma revolta e porventura uma guerra. A magia foi há muito proibida, mas o reino de Limeros tem como rei um homem sem palavra, um mercenário com sede de poder, e com uma arma fatal chamada...Lucia.


Uma grande leitura, sem dúvida , gostei muito do mundo criado e descrito pela autora, gostei da trama e gostei dos personagens. O livro é pequeno mas já se notou uma progressão dos personagens que se adivinham principais. Gostei especialmente do pormenor onde o inimigo se vai tornar amigo e aliado...e mais não digo.
A escrita não é magnífica, mas é fluida , inteligente,  e bem estruturada. Os twists sucedem-se , mantendo sempre o leitor na espectativa. Este livro foi uma agradável surpresa. 4 estrelas


sábado, 21 de maio de 2016

Burning Glass

Sonya é uma Auraseer, vive num convento com outras jovens igualmente Auraseers, com o propósito de  aprenderem a dominar este dom. Um dia mais tarde poderão fazer parte da corte do rei. 


Este foi um dos piores livros de fantasia que li, nem sei o que dizer...Sonya é uma idiota, como personagem principal. A história não tem estrutura , é tudo muito confuso, repetitivo e incoerente. Não há descrições, não há construção do mundo onde a trama tem lugar, não há descrição precisa dos personagens, a história passa-se sempre no mesmo sítio, entre 4 paredes. A narrativa é constantemente interrompida , pelos pensamentos sobre as raparigas que Sonya matou (o início do livro foi outra confusão sem nexo), os diálogos são para esquecer. 1 estrela


quinta-feira, 19 de maio de 2016

A Contadora de Histórias

O livro conta-nos a história de Sage, uma  jovem padeira de origem judia. Esta frequenta um grupo de apoio ao luto, aí conhece Joseph Weber, um idoso de 90 anos, alemão. Começam a falar e entre eles começa a formar-se um forte laço de amizade....

Não gostei da escrita da autora. Demasiado 'padronizada', não trouxe nada de novo no que diz respeito a estruturas e descrições. Depois de 40 páginas lidas, adivinhava-se o que vinha aí, para mim foi uma leitura muito previsível. A narrativa é aborrecida, pois dá muitos pormenores do fabrico do pão e bolos, não me pareceu relevante. As partes em que a autora narrava o passadp eram as mais interessantes.A escrita em si também se tornou confusa pois a autora alternava o presente com pensamentos do passado, deixando o leitor um pouco irritado com tanta informação desnecessária. A história é mera ficção, ou seja foi tudo inventado. Nestes cenários de 2ª guerra mundial, o autor  de ficção ,pisa terreno perigoso, pois não estava lá, não viu, não sentiu. Não acho que este tema seja tema para 'histórias inventadas', foi um momento horroroso da nossa história e que não devia ser assim exposto à ficção.2.5 estrelas

A Court of Mist and Fury

Feyre foi ressuscitada, é agora uma Fae. Rhysand faz o que prometeu, na véspera do casamento da jovem com Tamlin (este fdp) aparece para reclamar a presença de Feyre no seu reino. Feyre fica em pânico, mas acaba por ir, foi esse o acordo, tem que ser cumprido. Não posso contar mais :(

Este foi sem dúvida o melhor livro de fantasia que li, destronando assim a minha autora favorita , Juliet Marillier. A escritora é genial na criação e descrição do mundo dos Fae. A originalidade está presente a cada página virada, ao contrário de outras autoras, Sarah J. Maas chama as coisa pelos nomes e inclui partes eróticas. A progressaõ da história é notável, as descrições são DESLUMBRANTES, o ritmo é rápido, e os twists, omg, os twists são de tirar a respiração. A escrita é simples, magnífica e muito fluida, não sei o que mais posso dizer. O cliff hanger do fim, deixou-me sem dormir durante 3 noites, ela não podia ter feito isto, não, não não....um ano de espera nãooooooo. 10 estrelas foi... Exquisite.

As Altas Montanhas de Portugal

Não posso fazer a sinopse , pois o livro é composto de 3 histórias que no fim se vão completar. Começa com um jovem chamado Tomás, que pensa estar na posse de uma pista de um tesouro que irá abalar a fé cristã. Para provar a sua teoria precisa de achar o objecto que o levará à glória, para isso tem de deslocar-se ao Norte de Portugal, Tomás tem uma particularidade...anda às arrecuas.

Vou ser muito sincera, eu fiquei chocada com algumas partes deste livro, ainda não parei de pensar nele e já o li há duas semanas. Este livro é desconcertante, mas depois de muito pensar cheguei à conclusão ..que até gostei. A escrita é de grande qualidade, e eu vou ainda reler certas partes , pois falta-me fazer uma relação de um facto. Aconselho muito este livro, faz-nos pensar , pode parecer uma história sem nexo, mas....pensem com cuidado leitoras, aceitem este desafio e leiam este pequeno livro. 4 estrelas

O Livro de Aron

A família do pequeno Aron vive nos limiares da pobreza numa vila na Lituânia. São de origem judaica e os tempos são de guerra. Perante uma proposta de trabalho , o pai de Aron muda a família para a Polónia, pois pensa que o novo emprego lhes trará mais conforto.

Este livro desapontou muito, é uma narrativa de uma das muitas famílias judaicas fixadas na Polónia, não é ficção e daí o meu desapontamento. O livro descreve o dia a dia da família, dá poucos pormenores da guerra , é uma leitura aborrecida. Se pegarmos num livro de História ficamos melhor servidos. O autor não desenvolve a narrativa, entra em pormenores irrelevantes e no fim não acaba a história...diz que não sabe o que aconteceu à família, ou foram para um campo ou ...não. Ninguém sabe. 2 estrelas.

domingo, 8 de maio de 2016

Sunborn Rising

No universo de Cerulean, os habitantes vivem na floresta que flutua no oceano, este oceano está à volta de uma estrela. A luta pela sobrevivência é o tema principal deste livro fantástico .

Não sei bem o que dizer acerca deste livro. A escrita é básica, os pormenores do mundo apresentado não têm muita coerência ou lógica, e algumas partes têm até uma grande dose de brutalidade, não há por assim dizer, um 'equilíbrio' em termos de escrita. Os nomes das espécies são dificeis de pronunciar e de fixar, o que torna a história ainda mais confusa. Não vos sei dizer ao certo a que público se destina este livro, pelas imagens eu diria público infantil, mas pela escrita talvez YA.
Gostei do mundo criado no entanto esperava mais qualquer coisa. 3 estrelas

Vamos comprar um Poeta


Numa sociedade onde só os números e as estatísticas contam, uma rapariga decide comprar um poeta...


Foi uma boa leitura, sem dúvida, a sociedade é aqui descrita como um número, toda a gente tem um número, ninguém tem nome ou descrição física. Gostei muito da escrita original do autor, gostei muito da maneira como descreveu e escreveu sobre a nossa sociedade materialista/consumista. Uma sociedade onde a cultura não existe simplesmente, e todos nós sabemos, que a sociedade sem cultura é uma sociedade ignorante e pobre. 4 estrelas

The Bitter Kingdom

Elisa é agora uma fugitiva, o trono foi usurpado por um dos generais, para isso tiveram que matar o seu marido, o rei Alejandro.A guerra civil é uma certeza e os feiticeiros estão a atacar vários territórios vizinhos. Elisa tem que destruir os feiticeiros, tem que viajar até à terra das neves eternas, sobreviver, e anular os animagi.

O último livro da trilogia, e mais uma obra-prima. A autora torna a surpreender com novos personagens e twists de ordem variada. A estrutura continua a ser fantástica, e a descrição de novos cenários, são outra vez geniaias. Já disse tudo na opinião dos livros anteriores, que posso dizer mais, sem entrar en spoilers??? Por favor escreva mais um. Foi uma trilogia fabulosa. 5 estrelas

The crown of Embers

Elisa conseguiu derrotra os animagi, mas sabe que esta derrota será apenas temporária, pois a guerra está declarada e nenhum exército tem força para derrotar os feiticeiros. Elisa tem que empreender numa viagem, para tentar saber as fraquezas dos inimigos. Ela é portadora de uma pedra de Deus, vai ter que aprender a saber usar o seu poder.

A viagem é perigosa, pois o inimigo está situado para além do deserto. Com ela viajam alguns amigos, o que será que a espera nesta viagem tão perigosa...


Mais uma vez a autora surpreende ,com uma história magnífica e muito bem estruturada. A introdução de novos personagens, vem juntar uma lufada de ar fresco à trama . O cenário e a descrição do mesmo é no mínimo brilhante. A caracterização dos personagens é muito real, toda a construção deste mundo fantástico é explicada com simplicidade e mestria. As cenas são relatadas com muita paixão e realismo, a autora passa ao leitor uma grande mensagem de vida, pois muitas vezes quem morre são os 'bons' e os traidores ficam sem castigo, foi um livro brutal. 5 estrelas

sábado, 30 de abril de 2016

The Heart of Betrayal

Lia, foi raptada pelo assassino, estão agora no território dos bárbaros, Venda. Kaden não a matou, pelo que poderão estar os dois em perigo. Rafe também lá está, conseguiu seguir-lhes o rasto. Lia é muito inteligente, mas enganar um bando de assassinos bárbaros não é tarefa fácil, o que vai acontecer quando se souber que Lia não possui o 'dom', ou será que possui??? Que segredos estarão enterrados nas catacumbas de Venda??? Quem é a mulher que Lia vê??? 

Mais uma leitura de excelente qualidade, a trama, os personagens  são fenomenais. A escrita é impressionante e corretíssima. O mundo criado é algo dark e misterioso, cada página virada é uma surpresa. A progressão de trama é excecional, a maturidade da escrita, é também aqui, impressionante. Tem  passagens brutais mesmo, deixando o leitor de rastos. Este 2 livro tem 4 narradores, mas nenhum se repete uma vez que estão todos separados. Durante a narrativa é explicado ao leitor a lenda de Venda e da formação do mundo criado, foi excecional. 5 estrelas 

The Girl of Fire and Thorns

Elisa tem 16 anos, hoje é o dia do seu casamento. Elisa é portadora da pedra de Deus, tem por isso uma tarefa difícil a cumprir. A aliança com os reinos do sul é importante, por isso Elisa casa por imposição. Ao contrário das princesas convencionais, Elisa é obesa, come demais, e não é bonita, não atrai as atenções dos rapazes.Pensa por isso que o seu noivo é um velho decrépito e asqueroso, mas engana-se...Alejandro é um homem lindo.

Elisa parte então para o sul, Alejandro trata-a com muito respeito e carinho, embora não esteja apaixonado por ela, tornam-se bons amigos. No caminho são atacados, e a partir daqui as coisas vão correr muito mal...

Uma grande leitura , sem dúvida, muito bem estruturada, e com um ritmo excelente. A escrita tem muita qualidade e agarra o leitor do princípio ao fim. A construção e progressão dos personagens é fabulosa,a maturidade que a autora demonstra na caracterização dos mesmos é fascinante. Este livro é a prova viva que se pode escrever fantasia de grande qualidade, sem recorrer aos convencionais elfos, dragões, bruxas, princesas lindas de morrer e palácios de construção refinada. Aqui a paisagem é inóspita e tudo em torno é construído em função da mesma. Foi uma leitura brutal. 5 estrelas.

sábado, 23 de abril de 2016

The Kiss of Deception

A princesa Arabella (Lia como é conhecida ) é uma primeira filha, reza a lenda que todas as primeiras filhas têm o dom, o dom de ver o futuro. Mas Lia não o possui, e mesmo assim é obrigada a casar com um desconhecido, o que  para ela  é intolerável. Ela e a sua criada  Pauline traçam um plano, um plano de fuga, mas Lia quer ainda vingar-se do seu tutor, um homem horrível que gosta de a castigar, rouba-lhe então um par de livros que estavam escondidos numa gaveta. Agora o plano estava completo, Lia e Pauline fogem pelas traseiras do castelo em direção à Liberdade....

Fogem em direção à terra de Pauline, que fica ali por perto, mas quanto tempo poderão passar despercebidas??? não muito...

Uma história fabulosa, a sinopse não parece grande coisa ( assim como o título) mas a progressão da história e a construção da personalidade dos personagens é das melhores que tenho lido, não me lembro de nenhuma outra escritora capaz de semelhante feito. A progressão da trama e dos personagens é fabulosa, a escrita é magnífica, e os personagens secundários são fascinantes. A autora explica aos poucos e durante a narrativa, como este mundo se formou. O cenário também foge ao convencional, pois mais uma vez temos um pano de fundo tropical e desértico. A autora demonstrou uma enorme maturidade e genialidade, na progressão da história de Lia, o que ao inicio pareceu um acto deliberado e infantil da princesa, tornou-se num acto cruel e devastador, que se irá tornar numa guerra. Lia (no fim deste livro) tem noção ao que o seu acto deu origem, e esta aceitação da realidade foi qualquer coisa de magnífico. Foi uma grande leitura. 5 estrelas

The Mirror King

O principe Tobias, está nos braços de Willhemina, tem uma seta cravada perto do coração, está a morrer. Will tem uma solução, Conor um dos Ospreys tem a magia da cura, só ele poderá salvar Tobias. 

O rapaz expectro convocado por Willhemina, é de grande utilidade...todos os desejos ou pensamentos da jovem, são concretizados pelo expectro...até a morte de algumas pessoas.

Este 2º e último livro foi dececionante. Os personagens estão muito mal estruturados, parecem um grupinho de meninos e meninas mimadas, a bater com o pé no chão. A total falta de maturidade dos mesmos, em relação à morte/desaparecimento dos familiares e amigos próximos é desconcertante, já para não dizer desrespeitosa. A autora não conseguiu aguentar o tema do livro anterior, esteve a empatar, com páginas e páginas de acontecimentos irrelevantes e que em nada contribuiram para a progressão do tema principal. O mundo criado, é igualmente pobre em descrição. O fim foi um desastre, o fim não teve fim, ficou tudo como estava e a autora não deu solução às questóes principais da trama. 2.5 estrelas pela correção da escrita.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Uma chama entre as Cinzas

O Império tem os povos subjugados ao seu autoritarismo, ninguém pode ter uma educação. Mas os movimentos rebeldes andam por lá, liderados por um grupo de Eruditos, pois não foram todos mortos, os que sobreviveram ensinaram os mais novos. Laia acabou de perder o irmão, o Império prendeu-o como traidor, Laia vai ter de empreender uma perigosa viagem para tentar salvá-lo.

No Império, os soldados treinam sob o pulso da (maldita) Comandante Venturus, os augúrios apareceram e decidiram que irá haver provas, um novo Imperador irá tomar posse. Elias foi treinado pelo Império desde criança, é um dos candidatos a Imperador, é filho da Comandante, e os dois odeiam-se de morte.

Uma história fabulosa, contada na 1º pessoa por Laia e por Elias, que não se conhecem. Temos portanto dois pontos de vista diferentes. A escrita é magnífica ( eu li em inglês) e a trama é de tirar a respiração, a história progride a um excelente ritmo, e os personagens estão muito bem estruturados, quero salientar que os soldados do Império têm uma máscara, que com o tempo se molda à cara e nunca mais sai. Acho que com isto a autora está a passar uma mensagem importante para a nossa sociedade. O livro tem muita ação e o leitor está sempre na expetativa, ( se sofre do coração não leia), pois tal como disse no video, a tal mulher Comandante é demoníca, está sempre um passo à frente até do....futuro. 5 estrelas

Rebel of the Sands

Amina, uma orfã de 16 anos, está farta de ser maltratada e humilhada pelos tios que a acolheram depois da morte da mãe. É espancada com frequência e o marido da tia quer casar com ela (o fdp do velho). No deserto onde vive, Amina é diferente, pois os seus olhos são azul turquesa, o que indica que sua mãe se deitou com um ...estrangeiro. A jovem amealhou umas moedas durante 8 anos e vai tentar entrar no jogo do tiro ao alvo, Amina é imbatível, tem a certeza que vai ganhar e assim já pode fugir...mas... as coisas correm mal...


Aqui está uma história original, passada no deserto. A obra é narrada por Amina na 1º pessoa, está muito bem estruturada, as descrições do deserto são algo de maravilhoso, as personagens são deslumbrantes e originais e a história é qualquer coisa de surreal.Não posso falar muito da história em si, pois seria spoiler, fiz uma brevíssima sinopse, mas não posso dizer mais. 
A progressão dos personagens é estonteante, o livro está cheio de ação, cheio de povos míticos e misteriosos do deserto. O leitor até sente os cheiro e a textura do deserto, tal não é a descrição fabulosa da autora. A escrita é simples mas muito bem conseguida e cheia de humor. Sem dúvida um livro que será do agrado de todos os leitores de fantasia. 5 estrelas

Lady Midnight

Cadáveres de todos os tipos aparecem em L.A. com um tipo de escrita demoníca desconhecido para os Shadowhunters. Emma afirma com toda a certeza que é o mesmo assassino dos pais, pois reconhece os tais símbolos pintados nos corpos. 
A jovem tenta descobrir algo sobre o assunto nos shadow markets, o que é ilegal...

Estreei-me nesta autora e a estreia não foi auspiciosa, o livro é aborrecido e a escrita apresenta pormenores irrelevantes. Vou começar por 'embirrar' com as criaturas que por lá aparecem...os Fae, carambas os Fair Folk????? Como é  que estes povos da mitologia Irlandesa e britânica lá foram parar??? Elfos, a viver em pleno L.A. seriously???????
A escrita parece muito padronizada, obedece a um certo esquema, não achei original,pareceu-me um episódio do CSI L.A. para ser sincera. O ritmo é lento, a autora dá preferência ao tal romance lamechas, que não interessa a ninguém, e ação propriamente é quase nula. 

A protagonista Emma é estranha, nunca consegue fazer nada sozinha, tem sempre que ser salva, isto é que é ser a maior shadowhunter lá do sítio??? Depois lá vem o triângulo amoroso, com sexo gay à mistura, a sério??? isto é um YA??? 
A história não vale nada, a escrita também não. 2 estrelas

quinta-feira, 31 de março de 2016

The Truth Is a Cave in the Black Mountains

Esta é a história de um anão que pretende viajar até às montanhas negras. Mas para isso precisa de um guia, Calum MacInnes, que afirma que as montanhas estão enfeitiçadas, e que portanto pode indicar-lhe o caminho mas não pode chegar lá perto. O anão diz que sim, e lá vão....

O que posso dizer??? Pouco, é uma história de terror, esta sim, esta tem mortes macabras, e é no mínimo magnífica. É Gaiman, não posso adiantar muito. A escrita é perfeita, a estrutura é perfeita, o vocabulário é perfeito e o tal twist a la Gaiman é de tirar a respiração. 10 estrelas

Gregor a Segunda Profecia

Após a família se ter reunido,( o pai de Gregor  voltou para casa depois do cativeiro na Subterra), foi agora a vez de Boots ter desaparecido, as baratas vieram reclamá-la , levando-a pelo túnel escondido de Central Park.

Mais uma bonita história de S. Collins, que não desaponta. A escrita é perfeita e mantém sempre o tal 'suspense', ou seja, o leitor tem sempre vontade de voltar a página pois a trama é viciante. A história é simples mas muito bem estruturada, o vocabulário é igualmente  simples mas as frases estão muito bem construídas, pelo que se torna uma escrita inteligente, pois tem que chegar ao público infantil/juvenil.

Uma história original, que dá para 'espairecer' dos calhamaços de 600 páginas. A mensagem da autora é sempre muito positiva e leva-nos a um submundo do imaginário. 4 estrelas

A court of Thorns and Roses


Feyre, vive com o pai e duas irmãs num barraco na terra dos mortais, perto dali existe a 'parede', uma muralha que impede humanos de viajar para os reinos  dos Fae e vice-versa.Porém, no vilarejo onde vivem, há relatos de populares, que afirmam ter visto criaturas da terra dos Fae, criaturas fora do alcançe das armas dos mortais. Feyre tem de caçar para sustentar a família, estão em pleno inverno e sem nada para comer. 

Consegue caçar um veado, mas para isso teve igualmente que matar um lobo gigantesco....quando chega a casa, a família tem uma visita do ' outro mundo', Feyre tem que pagar pelo que fez, matou um Fae.....o preço é a vida dela....


Depois de ler a série Trono de Vidro, julguei que esta leitura fosse inferior, mas não, cada livro de Maas, é uma surpresa maravilhosa. Pegando no conto; A bela e o Monstro, a autora conta-nos uma história maravilhosa e original, tendo como pano de fundo , o povo Fae (elfos) e os seus respetivos reinos; reino do Dia, da Noite, da Primavera, do Verão, do Inverno e do Outono. A escrita é fluida e magnífica, as descrições são aqui mais pormenorizadas do que na série Trono de Vidro, a trama é fabulosa, os personagens são deslumbrantes (goooo Rhysand). A trama é narrada pela autora e só tem um plot. O leitor entra literalmente no livro. Cada página virada é uma surpresa ou um twist, a personagem principal tem uma progressão brutal, (o que é e no que se vai tornar), o ponto alto do livro é o fim... não me posso alongar mais. Foi FABULOSO. 5 estrelas (porque não posso dar mais).

sábado, 26 de março de 2016

The Lovely Bones

O meu sobrenome era Salmon, tal como o peixe; primeiro nome , Susie. Tinha 14 anos quando fui assassinada no dia 6 de dezembro de 1973...

Um thriller contado pela criança morta. Com uma escrita magnífica, a escritora consegue  contar este crime hediondo, de uma forma original e bela. Pois a protagonista, conta a sua história do Céu. 
Uma narrativa deslumbrante, cativante e rica, são 3 adjetivos pobres para descreverem este livro maravilhoso. A autora conseguiu, através do acto horrível  de violação e assassínio, enviar uma mensagem de paz , harmonia , amor e justiça. Um livro que não consegui parar de ler. 5 estrelas





Glass Sword

Mare Barrow e os rebeldes escaparam pelo comboio subterrâneo, vão agora tentar refazer as defesas e reaver os restantes novos-sangue.Chegam finalmente ao santuário, mas será que estão em segurança??

Foi uma sequela Fabulosa, cheia de ação e mistério, a autora provou que é uma excelente contadora de histórias, elevando a fasquia deste segundo livro. A escrita é bonita e tem qualidade. A introdução de novos personagens com novas habilidades é brilhante, contudo...preparem-se leitoras, para chorarem lágrimas amargas...:(.

O ritmo continua rápido, e as surpresas sucedem-se, o ponto alto é o fim do livro, que me deixou de rastos, até 'tou' admirada de não me ter dado um enfarte. A sério, não leiam pah, vão ficar de rastos ....no mínimo.
O personagem Maven, é diabólico, mas é o meu favorito (goooo Maven), pronto é desta que me matam. Não posso adiantar mais nada. 5 estrelas ( pois não posso dar mais)


Traveller

Após a batalha travada dentro da nave Traveler, Quin e Shinobu, conseguem escapar, com muitos ferimentos. Abrem um buraco no espaço e viajam até Hong Kong, onde vivem as suas respetivas mães. Mas o pai de Quin continua vivo, tenta matar a própria filha, mas é mal sucedido e entao manda segui-la. Quin e Shinobu, descobrem que quem os anda a seguir é um bando de miudos, têm a aparência de Dreads, mas não o são. 

A sequela de Seeker foi um pouco dececionante, por alguma razão, este segundo livro não manteve o suspense do livro anterior. Aqui, a autora tem vários plots, o de Katherine, mãe de John,os miúdos Dread, Maud, Quin, Shinobu e ainda John. Por vezes a narrativa torna-se um pouco monótona. A qualidade da escrita também é inferior ao livro anterior, o que achei estranho, no mínimo. No entanto , os mistérios revelados foram muito interessantes, mas a autora deixou tudo para o fim, não houve 'espaçamento' de aconrecimentos, o que torna sempre a trama monótona e aborrecida. 3.5 estrelas