Fruity Cherry Heart

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Krampus

Jesse um homem jovem e  falhado, vê-se de repente no meio de um 'diabo' e dos seus ajudantes, estão a querer matar  Santa Claus, no meio desta luta, a saca do pai natal cai dentro da barraca onde Jesse vive...e a partir daí, a vida e a aparência de Jesse sofrem várias mudanças .

É um livro muito bom sem dúvida. O autor consegue construir uma história na atualidade, tendo como base a mitologia nórdica. Krampus não é o contrário de Santa Claus, na visão do autor, a igreja católica distorceu mais uma vez as crenças da antiguidade. É um livro com uma mensagem muito importante, Santa e Krampus (imo) ainda que não pareça são na verdade iguais. Krampus assume-se como o verdadeiro espírito da quadra festiva (soltício de inverno), enquanto Santa é uma farsa,  herdou o nome e os ideais de um deus nórdico e depois 'roubou' a identidade de um santo católico. O autor consegue 'encaixar' estas realidades num contexto atual, com uma narrativa cativante, com alguma violência, e um desfecho algo previsível (ou talvez não)??Muito Bom 4,5 estrelas.


sábado, 27 de dezembro de 2014

A Culpa é das Estrelas

Achei estranho não haver sinopse deste livro, diz que é para rir, chorar, divertir mas nada mais. Ora pois eu faço a sinopse em duas frases, este livro é sobre dois jovens a morrer de cancro e sobre  o seu grupo de apoio, que é formado por mais jovens a morrer de cancro. Então com esta sinopse quem é que vai ler????

Não me vou alongar muito na opinião, o que posso dizer??? Que o autor é um fdp??? Por acaso algum de vocês sabe o que é ver e estar com toda a nossa família nos braços a morrer de cancro????????????????????????????????? Um por um a cair como pardais e eu a olhar sem nada poder fazer???? Já viram a cara de um jovem, da família do jovem quando o médico lhe dá 6 meses de vida??????? Pois é, perdi os pais e duas irmãs mais novas, sei MUITO BEM o que é Cancro, este senhor acha graça a isso certamente, é um criançolas, mas talvez a vida o ajude a compreender melhor e lhe dê aquilo por que tanto anseia ...
Tudo no livro é fictício, até o medicamento que tira os tumores do pulmão da jovem de 16 anos, isto é normal, isto é adulto???? Não dou classificação, e espero que este senhor tenha uma grande surpresa em 2015.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Quando a Neve Cai


Este livro conta três hisrórias de três grupos de adolescentes, numa vila americana. À primeira vista não estão relacionados, mas na 3º história (a melhor imo) juntam-se os três relatos e o leitor vê as peças do puzzle jumtarem-se e fazerem todo o sentido.

Gostei muito, sinceramente não estava à espera. Este livro descreve as relações amorosas de vários jovens durante o Natal. A escrita é simples e bem conseguida, é um livro 'leve' ,  que deixa o leitor feliz e divertido. Estas 3 pequenas histórias foram  como uma  pequena trilogia, a 1º foi boa, a 2º melhor que a primeira e a 3º foi excelente e melhor que as outras duas.
Tenho que salientar a crítica intencional ou não, dos autores em relação ao Natal, que na visão dos personagens, era uma época onde se trocavam prendas e uma época de férias, o sentido religioso da quadra não é sequer mencionado. O leitor só sabe que é Natal porque os autores o mencionam, poderia tratar-se de um dia de inverno normalíssimo, em qualquer época dos meses de Inverno. 4 estrelas. Gostei muito

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

The Snow Child

Um casal de meia idade (Jack e Mabel) resolve ir viver para o Alaska, pois a vida na 'civilização' não lhes correu de feição,  decidiram recomeçar após terem perdido um filho à nascença.
Trabalham a terra e Mabel faz empadas para vender na vila. Numa das viagens para a venda das empadas, Jack conheçe os seus vizinhos , os Benson, o casal e 3 filhos.

Logo se metem à conversa e os Benson convidam Jack e Mabel para uma ceia. A partir daí ficam amigos para a vida. 
Chega o Inverno,Jack e Mabel decidem fazer uma boneca de neve, colocam-lhe um cachecol e uma luvas vermelhas. No dia seguinte a boneca estava por terra , o cachecol e as luvas tinham desaparecido. A partir daí o casal começa a ver ao longe uma criança com o  cachecol e as luvas vermelhas. Perguntaram aos Benson se havia na vizinhança ,casais  que tivessem filhas com idades compreendidas entre os 7/9 anos, mas não havia ninguém que correspondesse à imagem da criança que eles viam por ali.


Já conhecia o conto russo, e não acho que a escritora se tenha esmerado em escrever uma história original. A narrativa é agradável, mas demasiado extensa, e as cenas repetem-se. Uma leitura adequada ao Natal sem dúvida, mas achei que faltava qualquer coisa,talvez o que falta à maioria dos que se dizem 'escritores'...bases literárias. Alguém que se diz 'escritor' e não conhece os clássicos, é tal como ir ao Egito e não ver as pirâmides. 3 estrelas. Lê-se bastante bem porque é um conto russo.

sábado, 20 de dezembro de 2014

A História de Catherine - P. Modiano

O autor narra na 1º pessoa a história de Catherine, uma criança, que vive com seu pai num bairro de Paris. A profissão do pai é desconhecida,a mãe é americana e está na sua terra natal trabalhando como bailarina ( de quê; clássica, da broadway?!!)
Este livro foi um deceção, pois lá está caros leitores; como era Catherine, quantos anos tinha, em que ano andava??? Só se sabe que usava óculos, tal como seu pai.
Porque é que a sua mãe estava nos states e deixara os dois em França??? A narativa é um pouco aborrecida,mais uma vez, o leitor não sabe qual a intenção do escritor, não há expectativa, não há  'objectivo'. O autor consegue escrever um pequeno conto sem uma única descrição dos personagens.
Provávelmente era esta a intenção, se a história fosse interessante, (que não era) o leitor até acharia graça, mas o cenário de fundo, a história de Catherine, é monótona e sem cor.Em bom português ele escreveu um conto , mas pouco ou nada disse. 3 estrelas porque a escrita é ,digamos, cuidada.

The Extremes

Teresa Simons, nascida e criada numa base militar americana, localizada em Inglaterra, é uma criança dotada para o manejo de armas, incitada por seu pai. De regresso aos States, Teresa cresce e casa com Andy , um agente do FBI tal como ela.
Mas o azar bate à porta e Andy é assassinado, num massacre no Texas.
Teresa volta a Bulverton , Inglaterra, para tentar descobrir o que aconteceu no Texas?!! E estão vocês a perguntar o que tem uma coisa a ver com outra???? Aqui em Bulverton houve um massacre igual, no mesmo dia, à mesma hora, pelo mesmo assassino. Os agentes policiais, têm cenários virtuais, ou melhor realidade virtual, como treino. Esta mesma realidade pode levá-los de volta ao passado, e quem sabe caro leitor, devolver os mortos???

Um thriller de alta qualidade, onde o presente, pode ser passado, onde o passado, pode ser modificado, para alterar o futuro??!! Uma obra muito bem estruturada, onde a realidade virtual se faz presente, levando o leitor até locais nunca antes explorados.Teresa Simons tenta reconstruir o seu futuro por causa do amor que sente por Andy, será que o consegue trazer  de volta, viajando para o passado e para o momento em que Andy é morto??? Isto caro leitor é a pergunta de 1 milhão de dolares.
Se por acaso leram deixem aqui a resposta à pergunta: Andy voltou dos mortos???  Leitura 5 Estrelas.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Passatempo- J. Marillier

Participa e ganha um livro novo.

Alexander the Great - book 1

Primeiro livro da trilogia, dá-nos a conhecer a infância e a juventude  de Alexandre da Macedónia, que por assassinato de seu pai Philip II, se tornou rei com 16 anos de idade. Educado por Aristóteles, Alexandre desde cedo provou que era uma mente brilhante. 
Depois do assassinato de seu pai, Alexander jurou vingança, empreende assim a continuação do sonho de seu pai...a invasão da Ásia.
 
Brilhantemente escrito, este é um épico que não podia escapar da minha estante. Tem um pouco de tudo, assassinato, traição, sobrenatural, orgias, sacrifícios a Dionísio, guerra, sexo, e aventura. Acho que é difícil escrever sobre um épico. Este primeiro volume termina precisamente com a partida de Alexander para a Ásia.
À volta dele temos vários outros personagens dignos de destaque, sua mãe Olímpia, sua irmã Cleópatra, o seu cunhado e aliado Alexandre (também), e claro os seus amigos e generais que ficaram para sempre na história; Hefastion, Eumenes, Perdicas, etc. Mais um livro brutal e magnífico em tudo, na forma, na trama, nos plots. 20 estrelas, vou começar o 2º volume.

domingo, 14 de dezembro de 2014

O Palácio de Inverno

O Palácio de Inverno, tal como o nome indica, é sobre as intrigas na corte do palácio da imperatriz Isabel da Rússia. Através de uma jovem informadora polaca, Varvara, a imperatriz toma conhecimento dos traidores à 'mãe' Rússia.
Incapaz de ser mãe, Isabel manda chamar o sobrinho Pedro, para lhe suceder no trono. Tal como é da praxe, precisa de uma noiva à altura para ter o tal herdeiro. Assim, Isabel nomeia a candidata : Sophie de Anhalt-Zerbst, a nobre alemã, que depois de baptizada pela imperatriz,foi e é conhecida por: Catarina a Grande.

Um livro interessante, pois as intrigas da corte são algo de impensável.A história começa bem, mas no decorrer do livro torna-se um pouco aborrecida, uma vez que a ação é sempre no mesmo sítio (o palãcio de inverno). A personagem central não é Catarina nem isabel, mas Varvara a informadora, cuja história não é muito interessante. Ao contrário do que esperava, não é um épico. Uma história 'previsível' onde a autora não mantém o suspense. Enfim, o começo foi bom, o meio nem por isso, e depois as últimas páginas foram a grande revelação de como era Catarina .....
O livro termina com a tomada de posse de Catarina, aka, Sophie de Anhalt-Zerbst.
Foi uma leitura interessante. 3 estrelas.
Nota: A sinopse da fnac refere Catarina como sendo uma princesa da Prússia?!!!!Ao menos acertem nas nacionalidades.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Half a King

O primeiro livro YA de Joe Abercrombie. A história começa com dois funerias,( o rei e o seu filho mais velho), Yarvi o filho mais novo, fica assim na cadeira de ferro. Sem aptidão nenhuma para as lides de rei, Yarvi estava prestes a tornar-se 'minister' do rei, ou seja  um wise man, um conselheiro, uma mente brilhante, mas vê o seu sonho desmoronar-se ali mesmo, nas vésperas de ser o que toda a vida tinha idealizado.

Yarvi é também um 'cripple', não tinha dedos na mão esquerda, por isso o manejo das armas era-lhe impossível. Odem o seu tio, e irmão da raínha sua mãe Laitlin,não vê isto com bons olhos, e Yarvi cai numa emboscada, hoje é rei , amanhã escravo.
Mas Yarvi faz um juramente,  tem uma mente brilhante, ao longo da sua 'carreira' como escravo reúne uma troupe de foragidos, será que são o que dizem??


Mais uma vez Abercrombie surpreende com uma história de grande qualidade. A trama é brilhante, as aventuras sucedem-se a um ritmo alucinante, e o protagonista Yarvi, tem um percurso notável durante esta narrativa. 
No entanto, achei a escrita mais simples e a linha da narrativa também muito simples, uma vez que o escritor (ao contário das outras obras), só tem um plot a decorrer.
Não entendo isso do YA, se é Adulto para umas coisas, com certeza também é adulto para ler um livro. YA é  sempre um livro 'light', destinado a miúdos e teenagers, com uma escrita bastante simples, daí eu dar 4 estrelas. Gostei muito e já fiz pre-order do 2º livro.

sábado, 6 de dezembro de 2014

The Miniaturist

Amsterdam, meados do século XVII, um mercador rico de 38 anos, casa com uma moça da província com apenas 18. O casamento foi 'acordado' claro, pois a mãe da moçoila está sem dinheiro. Nella vê-se assim numa nova casa, onde ninguém lhe presta atenção, onde todos a ignoram, o marido inclusive....se é que entendem.
Nella não entende, a casa é um mistério,  está cheia de segredos. Johanes, o marido, oferece-lhe como presente de casamento, uma casa em miniatura, a casa onde vivem.

Esta miniatura é a perfeição. É uma reprodução fiel da mansão grande, com todos os pormenores nela incluídos, mas esta miniatura de casa, parece obra do sobrenatural, a miniatura dita o futuro de Nella e de todos os que habitam na casa. O  seu conteúdo  muda conforme os acontecimentos, sem ninguém lhe mexer.


Este livro é Brutal, uma obra de excelência equivalente aos clássicos antigos. A autora mantém um tom de mistério constante, os acontecimentos vão-se desenrolando e quando é revelado o 1º mistério, o leitor (eu) deixei cair o livro, fiquei sem fala durante 10 minutos pelo menos. A trama é complexa (muito), a escrita complexa é. A história é negra, com toques de sobrenatural.Livro não aconselhado a menores de 30 anos, a sério mesmo, mais pela complexidade e maturidade dos assuntos. Uma história que deixa o leitor à beira da exautão de 'sentimentos'. Baseada em factos históricos verídicos. Sem dúvida o melhor livro que li desde a minha infância, faz parecer todos os outros, livros infantis. Daria 50 estrelas, foi Brutal.

sábado, 29 de novembro de 2014

Odd and the Frost Giants

Odd é uma criança de 11 anos que vive com os pais nos fiordes da Noruega. O pai é carpinteiro sempre que não está em viagem a fazer de VikingMas o azar bate a porta  o pai de Odd morre numa das viagens. A mãe casa novamente  e o padrasto não gosta de Odd. Assim sendo, este pega na 'trouxa' e vai para a floresta onde o pai tinha uma cabana. Por lá encontra, uma raposa vermelha, um urso gigante e um falcão só com um olho...já estão a ver quem são???

Uma leitura magnífica, trazendo a mitologia nórdica à vida, Gaiman escreve um dos episódios de Asgard, à sua maneira. Como sempre, com  grande imaginação, escrita bem desenvolvida, e muito humor Gaiman escreve em poucas páginas um conto encantador. 10 estrelas.

O Codex 632

O professor Tomás Noronha é chamado para terminar um trabalho sobre o descobrimento da América, iniciado por alguém que morreu num quarto de hotel.
Quando põe mãos à obra, descobre que o antigo colega, e também professor universitário, deixou o estudo encriptado, tinha feito uma grande descoberta sobre Cristovão Colombo.

Este livro é excelente para quem adora história. Pessoalmente e como livro, não gostei. Gostei do que aprendi, e gostei de saber todos os pormenores históricos à volta de Colombo e dos descobrimentos portugueses. Mas falta qualquer coisa, falta alma.
A trama em si, é mal conduzida, não tem interesse nenhum, aliás quase não tem história, própriamente dita. O que acabei de ler é uma descrição do que vem nos manuscritos, com um personagem Tomás Noronha a pairar em volta, quando devia ser ao contrário. A escrita deixa muito a desejar, assim como a quase inexistente 'trama'.  Vou ler os outros porque Adoro história, apesar de conhecer muitos dos factos que os autores referem.
Daria 3 estrelas pelo que aprendi.


quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Five Corners

Mina,Thia e Kiara são 3 jovens que nasceram 'marcadas'. Brijit a sua mãe adotiva, não lhes explica o significado das marcas. Curandeira de profissão, Brijit foi chamada para mais um funeral, outra criança marcada...
Vivem as quatro numa vila afastada, pois as jovens marcadas, não são aceites na comunidade, têm fama de bruxas. 

Na estalagem de Brijit , começam a chegar Anciãos, guerreiros, druidas. Seres  malignos tentam matar uma das jovens..., está na hora de ir embora, está na hora de procurar a verdade.

A conselho dos Anciãos, as 3 jovens 'marcadas' devem dirigir-se a Séreméla, para aí terem conhecimento do que está a contecer. Devem ir por caminhos separados, não querem chamar as atenções...mas a viagem corre mal.

Este é o primeiro livro de Cathi Shaw, e foi uma agradável surpresa. A autora, deu-nos a estrutura da obra, fez uma evolução brilhante durante a narrativa, deixando o leitor em grande expectativa, não revelando porém tudo aquilo que queríamos saber. Mantém um ritmo muito equilibrado, sempre na 'corda bamba', ou seja, os personagens enfrentavam  perigo constante,  no fim ficámos 'pendurados', à espera de mais, à espera do que vai acontecer, quem são as raparigas marcadas, quem são os traidores, quem são os seres malignos, quem é O Povo do Interior da Terra???? Não sabemos. Mais uma escritora a seguir. 4 estrelas (por ser o 1º da trilogia).

 

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

O Retrato de Rose Madder

Rose Daniels, é uma mulher maltratada pelo marido, é espancada quase diáriamente.Desta vez Rose perdeu a criança, está sentada na escada à espera da ambulância.Foi ameaçada pelo marido Norman: 'se falares morres...'

Um belo dia Rosie, decide fugir, 14 anos de maus tratos já chegam...sabe que um dia Norman a matará. Pega na mala e no cartão multibanco do marido e sai porta fora.

na rua, fica com medo, todos os carros, parecem o de Norman, todos os homens parecem Norman, ela sabe que ele a encontrará, é polícia... por fim chega a um abrigo para mulheres maltratadas, arranja emprego e compra um quadro...o que ela não sabe é que o quadro não é um quadro, o quadro está vivo :(, o quadro chama por ela Rosieee, rosieee..

Uma história poderosa 'a la King', que mais uma vez não desaponta. Excelente narrativa, personagens variados e 'bizarros'. A história em torno destes , é horrívelmente boa. Mais uma vez o sobrenatural se faz presente, desta vez, quando os personagens entram dentro do quadro.  King surpreende pela imaginação, pela história por tudo, enfim... se são sensíveis não leiam à noite :(. Leitura 4 estrelas.

Wonderstruck

Esta é a história de Ben, uma criança de 11 anos.  Após um acidente que vitimou sua mãe, Ben ficou surdo de um ouvido. 
Sabe que a sua antiga casa vai ser vendida, então resolve lá ir e trazer algumas recordações. No quarto da sua mãe, encontra vários objetos que guarda numa caixa, mas há dois que o fazem pensar, um fio de prata com um medalhão e um livro chamado Wonderstruck.
A tia que o acompanhou voltou para casa, pois mora ao lado, mas Ben quis ficar mais um pouco, entretanto lá fora rebentou uma tempestade, Ben decide esperar que passe, pega no telefone para dizer à tia que ainda lã está, mas no momento em  que o faz, o mundo à sua volta 'apaga-se'.
 
Mais uma história maravilhosa de Selznic, que ao mesmo tempo que conta a história de Ben, conta outra história através de desenhos. Ao princípio o leitor não percebe o que uma tem em comum com a outra, mas depois tudo fica claro. 
Este é o tipo de livro que se lê num dia em que nos sentimos mal,ou num dia em que tudo nos correu mal. A narrativa é maravilhosa e a aventura de Ben leva-nos a lugares inimagináveis e maravilhosos. Leitura 5 estrelas.
 

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Call of the Kiwi

A história continua exatamente no ponto onde ficou o livro anterior. Kura e o marido Martyn, continuam a digressão pela Europa, onde vivem, mas querem que Gloria, a filha de ambos, vá finalmente ter com eles e estude num colégio interno. Os netos de Fleurete também estudam na Europa, o que tornará a tarefa mais fácil para Gloria.

Gwyn fica em pânico, ama a bisneta, Gloria é uma Warden, adora as ovelhas, os cavalos, os cães, a quinta. Helen faleceu, não podendo assim aconselhar a amiga.
Mas Kura tem a última palavra e Gloria viaja para a Europa.
Jack o filho de Gwyn com James McKenzie, também adora os afazeres da quinta, mas não é herdeiro....

Mais uma vez, a autora descreve com brilhantismo a história destas famílias pioneiras que viajaram até à Nova Zelândia. A aventura chega ao fim, neste último livro, mas a narrativa não perdeu a qualidade. Excelente trilogia.

Os crimes do Monograma

Poirot goza de umas pequenas férias em Londres. No seu restaurante de eleição conhece uma jovem em apuros, que diz coisas sem nexo e desaparece pela porta fora, sem diexar rasto.
No dia seguinte o seu amigo da Scotland Yard, diz-lhe que houve 3 homicídios num hotel local, 2 mulheres e um homem. Poirot, pensa na jovem do restaurante e pensa que ela estará envolvida, que poderá ser uma das mulheres assassinadas...mas não é...


Uma história muito bem concebida, plena de imaginação, deixando o leitor sempre na expetativa, o plot sucede-se sempre com novas pistas que Poirot entende mas o leitor não. Um livro cheio de ação, tornando a leitura fãcil de seguir. Um policial complexo, (bastante) mas quanto a mim, Sophie Hannah, não é A. Christie, e não entendi porque foram feitos os botões de punho com os monogramas. De qualquer maneira é um excelente policial. Daria 5 estrelas.

Song of the Spirits

Decorreram quase 20 anos desde a chegada de Gwyneira e Helen à Nova Zelândia. Fleurete está casada com Ruben, e Marama teve uma filha de Paul Warden,Kura, a esperança de união dos colonizadores brancos com o povo Maori, mas Kura detesta a quinta, as ovelhas , os cães. Herdou o talento musical da mãe maori. 


Tonga , o chefe da tribo maori que ocupa parte das terras de Kiward Station, quer que seu filho case com Kura, pois assim terá poder total sobre as terras, mas Kura, dotada de uma beleza indescrítivel com apenas 13 anos de idade casa com William Martyn, um jovem irlandês acabado de chegar...mas as coisas não correm bem.Kura quer sempre mais, é uma jovem mimada, quer ser cantora lírica nos palcos da Europa.


Mais uma vez a escritora surpreende com uma escrita maravilhosa, com uma intriga muito bem concebida, plena de emoção sem porém cair na lamechice. Uma história de escolhas de vida, de arcar com consequências. A autora prima pela realidade que impõe à história, sem cair nos clichés, rapaz conhece rapariga e vivem felizes para sempre. Leitura 5 estrelas.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Dreamer's Pool


In exchange for help escaping her long and wrongful imprisonment, embittered magical healer Blackthorn has vowed to set aside her bid for vengeance against a man.  Followed by a former prison mate, a silent hulk of a man named Grim, she travels north to Dalriada. There she’ll live on the fringe of a mysterious forest, duty bound for seven years to assist anyone who asks for her help.

Oran, crown prince of Dalriada, has waited anxiously for the arrival of his future bride, Lady Flidais. He knows her only from a portrait and sweetly poetic correspondence that have convinced him Flidais is his destined true love. But Oran discovers letters can lie. For although his intended exactly resembles her portrait, her brutality upon arrival proves she is nothing like the sensitive woman of the letters.

With the strategic marriage imminent, Oran sees no way out of his dilemma. Word has spread that Blackthorn possesses a remarkable gift for solving knotty problems, so the prince asks her for help. To save Oran from his treacherous nuptials, Blackthorn and Grim will need all their resources: courage, ingenuity, leaps of deduction, and more than a little magic.
 
This was a fabulous book. The reader 'enters' Ancient Ireland, and gets caught in a  web of intrigue, magic, love, sex....with 3 narrators, the story develops to an extreme of suspense and magic. Every char is important, every char has a purpose and its place on the story. I cannot tell you more, or I'd ruin everything.. Just read it, it's magnificent.

Espada que Sangra

Bem-vindos a Zallar. Um mundo complexo que estará prestes a enfrentar uma guerra. Os  Mahlan, descendentes dos antigos Homens Demónio, pretendem reclamar o Poder. Cabe ao rei Hymadher e seus aliados travar esta guerra. No entanto , a intriga, a inveja,  o ciúme e a traição, estão sempre presentes, quem será aliado, quem será inimigo?
 
 
O autor descreve a formação de Zallar com imaginação e mestria.Daí parte para intriga da história. Um livro rico em descrições, com uma intriga complexa e muito bem fundamentada, que nos deixa a todos sempre na expectativa. 
 
 
Um livro repleto de emoções, fantasia no seu mais alto nível, ação, aventura e mistério. Um livro arrebatador, para todos os que adoram fantasia. Atreva-se a entrar em Zallar, pois não vai arrepender-se. Uma grande leitura, sem dúvida, o que prova mais uma vez, que Portugal tem Talento. Parabéns Nuno Ferreira.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

A Primeira Regra dos Feiticeiros - parte II

Os três 'aventureiros', Richard Cypher, Zedd e Kahlan chegam à terra Ocidental, para matarem o dark lord; Darken Rahl. Têm de obter uma das caixas de Orden, a que falta ao mago negro para se apoderar do mundo. Mas Richard Cypher é apanhado, alguém o traiu. Obedecendo a lord Rahl, uma Mord'Sith, apanha e tortura Richard, aliás o Seeker. Depois de quase perder a vida, o Seeker foge, mas Rahl lançou-lhe um feitiço, ninguém o consegue ver como Richard, mas sim como Darken Rahl.


Este segundo livro, apesar de ter um pouco mais de,qualquer coisa, não convence. O autor, não  revela como se chega a seeker, ou como se chega a Madre Confessora.
Descrições continuam a não haver, a escrita é pobre e infantil, com picos de crueldade extrema, desta vez para com uma criança. Por muito má que fosse  a filha da raínha Violeta, não era necessário um homem (richard) dar-lhe um pontapé na cara, onde a criança corta a sua própria lingua e morre afogada no próprio sangue?!!! Depois temos o dragão falante, como é da praxe, que ajuda Richard na sua quest. Como já disse, as ideias não estão bem explícitas, ficando a história a 'pairar' no ar!! A tradução é uma vergonha, não ajudando nada ao enredo, que por si só já é bastante mau. Fica aqui outra amostra : 'Se fizerem mal a Kahlan, têm de se avir comigo'. Avir conhecem??? Fico-me por aqui. Muito mau mesmo.

domingo, 9 de novembro de 2014

The 5th Wave

Até à 4ª Wave, morreram biliões de pessoas,vieram pragas, pestes, infeções, loucura. No céu está a nave-mãe, mas porquê??? Ninguém tem resposta para este caos. Os 'visitantes', não se mostram, ou serão iguais aos humanos?? Qual o propósito desta invasão?? A 5º Wave virá em breve, que forma terá??Será a última e a mais mortífera.


Uma obra bem estruturada e bem fundamentada, onde o autor consegue manter uma atmosfera de 'terror' contínuo.
Temos vários narradores, e nota-se uma constante evolução da história. O livro começa com a narração da protagonista, Cassie, e ao longo da trama, vão-se juntando outras, dos jovens sobreviventes e quem sabe se também de um 'alien'.As mortes dos humanos estavam 'programadas', em cada dez sobrevivia UM, porquê???

O mundo tal como o conhecemos, desapareceu, humanos restam poucos, pois os 'visitantes' habitam dentro de nós, são iguais a nós. Cassie, Ben, Sammy, Evan... é tudo o que resta, um punhado de crianças, um deles poderá ser um 'visitante'?!!

Ao contrário do que parece, esta obra de FC, não é uma cópia dos Jogos da Fome, Pures, A Passagem,e por aí, é uma obra inédita, bem escrita, ponderada, cheia de suspense e de uma atmosfera bizarra, que me levava a dizer constantemente: não pode ser, wtf, quê???Muito boa.5 estrelas. Já tenho o 2º livro.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

A Primeira Regra dos Feiticeiros - parte I


Richard Cypher, um jovem guia de Hartland, procura a verdade em relação ao brutal assassínio de seu pai. Na floresta encontra uma mulher misteriosa pela qual se apaixona à primeira vista, ajuda-a a escapar de 3 assassinos e a partir daí são companheiros inseparáveis.

Do outro lado da floresta , esconde-se o dark lord, Darken Rahl, que pretende apoderar-se do mundo atrvés da sua poderosa magia negra.

Opinião alargada: este foi sem dúvida um dos Piores livros que li, logo a seguir à trilogia 'Legend', da  Marie Lu.Vamos por partes, Richard é guia de quê??? Não sabemos. Onde vive??? Também não sabemos. Ora, se as fronteiras para a terra Ocidental e D'Hara estão fechadas pela magia, ninguém entra ninguém sai, para quê um guia???
Na mesma floresta vive Zedd, um idoso estranho e professor de Richard, que acolhe a tal mulher Kahlan. Estão a debater como entrar na Terra Ocidental para matar o dark lord, de repente, Zedd pergunta se têm fome, os outros dois dizem que sim e a mesa está posta, com um assado acabado de fazer, sopa de especiarias e pão fresco?!! Como???
Mais uma cópia pobre do senhor dos anéis, onde o 'autor' agarra as ideias do ar, com uma escrita pobre, e mal fundamentada, diálogos desnecessários que se prolongam por duas páginas , e que não têm interesse nenhum para o desenrolar da ação.
As frases não fazem sentido, o português é incorreto. Esta 1º parte é passada na floresta, tentando chegar à terra Ocidental. A tradução também é francamente má, por exemplo: ' Nós trouxemos-te até aqui, agora desenrasca-te'; 'ele não levantou objeções opinou'. Perceberam esta frase???
E isto é só a 1º parte, na 2º faço questão de colocar aqui uma foto, com um parágrafo duma das cenas que lá se passam. Grosseira, nojenta, despropositada. Sinceramente, não sei como editam uma bosta destas. 0 estrelas.

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

The Sleeper and the Spindle

Um conto bizarro, tendo como pano de fundo a Bela Adormecida e a Branca de Neve. Num reino algures, toda a população dorme, então a raínha de outro reino decide averiguar o porquê deste sono.


Dirige-se com 3 anões ao castelo dos adormecidos e depara-se com um cenário macabro.


Nesta época de Halloween tem tudo a haver, mais uma vez a mestria de Gaiman surpreende neste pequeno conto, onde tudo é, e não é.
Gostei bastante.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

No País da Nuvem Branca


Duas jovens inglesas, uma aristocrata outra preceptora, querem iniciar uma vida de casadas com dois desconhecidos na Nova Zelândia. Não sabem o que irão encontrar,  a aristoccrata não gosta do preconceito inglês, os pais têm uma enorme quinta e Gwyn administra-a com mestria, o que incomoda a sua mãe e irmãs, afirmando que não é um comportamento digno de uma lady e por isso não tem pretendentes.Gwyn é de uma beleza deslumbrante. 

Helen , a preceptora gosta da vida da cidade e pretende tornar-se numa excelente dona de casa, já tem 27 anos e nenhum pretendente à vista...
Empreendem assim uma viagem até à N. Zelândia para encontrarem o seu sonho de vida, (ou não). No barco tornam-se amigas para a vida.

Este livro é  m a r a v i l h o s o, cada página virada é uma surpresa, a escrita é soberba e cativante, a história é deslumbrante. Nada tem de lamechas, não é o género 'boy meets girl and they live happy for ever' nada disso, aliás de romance propriamente dito, tem pouco, este livro conta a Aventura de duas mulheres, na terra da nuvem branca, e é uma aventura magnífica, melhor que O Pintassilgo, daria 10 estrelas, é Fabuloso!!

domingo, 26 de outubro de 2014

A Raínha No Palácio das Correntes de Ar

Começou precisamente no hospital onde Lisbeth Salander e seu pai Zalachenko estavam internados. Lisbeth apanhou três tiros, e seu pai levou com o machado na cara (arremessado por Lisbeth, claro). Os dois sobreviveram. Mikael tenta livrar Lisbeth da  acusação dos três homicídios, mas com esta internada por tempo prolongado, é difícil a comunicação.


A polícia, está certa de que Lisbeth não é culpada e continua as investigações. Os comparsas de Zalachenko não gostam desta investigação e sabem que ele vai 'falar'. Há somente uma solução. Lisbeth também o quer morto, e Zalachenko quer Lisbeth morta. Erika berger sai da Millennium, para outra agêcia onde ganha mais, mas é ameaçada de morte. O verdadeiro homicida, o 'Gigante Louro', que tentou matar Lisbeth anda a monte, ninguém o consegue achar....mas alguém sabe onde o encontrar...


A trama é excelente, mas o autor dispersa-se demasiado com pormenores que não interessam, acrescenta nomes que eu não consigo pronunciar e que são muito parecidos, o leitor tem de voltar atrás constantemente para saber quem são. Achei um pouco entediante tanto pormenor, tanto nome, e a ação que realmente interessava, ficou digamos mais 'apagada'. Pois Lisbeth estava internada, e foi tudo muito burocrático. Só o fim é que foi interessante, mais uma vez Lisbeth salva o 'dia'. Daria 3,5 estrelas.

The Death Cure

Este último livro da trilogia, começa no dormitório onde os gladers tinham terminado o 2º trial.Foram avisados que as memórias lhes seriam restituídas, o que provocou sérios conflitos. Estavam no fim da linha. Acabaram as provas. Thomas lembrava-se de muito mais coisas do que queria fazer parecer. Mas a organização tinha ainda um último plano para Thomas....


Foi um livro aborrecido, onde o autor confunde o leitor de tal maneira que nada no livro acaba por ter sentido. A história é centrada em Thomas, os outros aparecem e desaparecem, o leitor acaba por não perceber quem está a mentir quem está a falar verdade. É uma autêntica confusão, que o autor acaba por não explicar devidamente. A ação é passada num autocarro, para lá e para cá.

A palavra WICKED aparece 3 x por página. A escrita é repetitiva , confusa e pobre.
O 1ºlivro foi bastante bom, o 2º leu-se o 3º não vale a pena. Daria 2 estrelas. Não gostei nada.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

A Rapariga que sonhava com uma lata de gasolina e um Fósforo


Neste  segundo livro , Lisbeth Salander, regressa da sua viagem à volta do mundo, Mikael está empenhado em publicar mais uma notícia de furor, tráfico de mulheres.Tentou contatar Lisbeth desde que ela partiu, mas sem sucesso.


O casal que leva a cabo a investigação de tráfico humano é assassinado no apartamento de ambos, a arma do crime é associada a Lisbeth, tem as suas impressões digitais e as do seu antigo tutor. A polícia, quer interrogar Nils Bjurman, pois a arma é dele, mas Bjurman também foi assassinado. Lisbeth Salander, torna-se assim a pessoa mais procurada da Suécia.

A polícia não consegue porém associar Lisbeth ao par assassinado. Esta por sua vez, entra nos computadores da polícia e começa a distorcer os factos, descobre também que Nils Bjurman a queria matar, surge mais um nome do passado Zala, que todos procuram, pois é o cabecilha do gang dos traficantes, mas ninguém sabe quem é, é um fantasma. mas Lisbeth sabe quem é, é o seu pai....

Mais um thriller emocionante, onde se descobre todo o passado de Lisbeth.Uma história bem estruturada e muito bem escrita.Contudo, o autor 'esqueceu-se' que Mikael tinha uma filha, pois menciona que este último só tem como família a irmã e os sobrinhos. Achei estranho ?!! 5 estrelas, gostei muito.


Ratos e Homens

Mais um pequeno romance fantástico de Steinbeck, desta vez a história de dois trabalhadores rurais, que andam de terra em terra à procura de trabalho, sendo um deles  retardado mental.


George e Lennie chegam a Soledad para trabalhar no campo, têm um sonho, comprar a sua própria casa e viver da terra, a este sonho junta-se mais um dos trabalhadores da herdade onde estão, pois  é velho e tem o dinheiro para concretizar a compra. Só têm que esperar mais um mês , George avisa Lennie para não se meter em brigas, pois sabe a força bruta do seu amigo. Mas as coisas correm mal....


Gostaria de dizer que foi uma leitura fabulosa, mas não posso, a tradução cortava a beleza da história, frases sem sentido, uma tradução mal amanhada tirou o prazer e a beleza da leitura. Se souberem inglês, aconselho vivamente a lerem nesse idioma, pois em termos de conteúdos frásicos, este livro não vale o dinheiro do papel.

A todos que leem estes resumos, gostaria de dizer, que cresci a ler os clássicos, Dickens, Austen, Brontê, Stevenson, Dumas,Steinbeck, Tolstoy etc. Acho que ao longo dos anos adquiri o hábito das excelentes traduções, e não permito agora, ao reler um prémio Nobel da Literatura, ler uma autêntica cagada de palavras.
 
 
 

domingo, 19 de outubro de 2014

A Invenção de Hugo Cabret

Este livro conta a história de Hugo, um pequeno orfão de 12 anos que vive na estação  de comboios de Paris. Faz a manutenção de todos os  relógios da estação, para não descobrirem que o seu tio desapareceu e assim o meterem num orfanato. Rouba comida e peças da loja de brinquedos...


Ao tentar roubar um rato de corda é apanhado pelo dono, que o obriga a despejar tudo o que tem nos bolsos, incluindo um caderno de desenhos, dado pelo seu pai..para  ter o caderno  de volta o dono obriga-o a trabalhar na loja de brinquedos, consertando geringonças...


Mas Hugo tem segredos, no seu pequeno quarto, na estação de comboios, Hugo tem um homem mecânico para reconstruir, e não sabe o que a vida lhe trará de bom ou mau quando o conseguir....


Foi uma história magnífica, uma história infantil contada para um público adulto, é assim que eu descrevo esta pequena mas maravilhosa história, contada por palavras e desenhos. Quando se sentirem desesperados e fartos de tudo, leiam esta história, que o mundo à vossa volta fica muito melhor. 10 estrelas.

sábado, 18 de outubro de 2014

The Scorch Trials

Dando seguimento ao livro anterior, Thomas e os outros Clareirenses foram levados para um dormitório algures. Quando acordam, Teresa desapareceu , e no seu lugar está Aris. Desta vez encontram-se num deserto. Aris explica que também esteve num labirinto mas era o único rapaz, o resto eram raparigas.
 
 
Tentando alcançar os edifícios ao fundo do tal deserto, mais uma vez o inédito acontece. Desta vez os jovens são manipulados emocionalmente, são postos uns contra os outros, Teresa vem matar Thomas....estamos num cenário infernal,  cheio de mensagens holográficas, com seres nojentos, zombies :( 


Mais uma aventura alucinante, desta vez num deserto,onde as capacidades dos grupos são postas à prova. Como sabem o 1º livro era num labirinto com temperaturas amenas, este 2º livro foi num deserto escaldante, o 3º livro deverá ser no gelo, por esta lógica. Gostei bastante, daria 4 estrelas.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

O Diabo na Cidade Branca

Este livro é uma não ficção e conta a história macabra do assassino Holmes e da construção  da Feira de Chicago.

Tem realmente pormenores muitíssimo interessantes e dá-nos a conhecer a América do século 19, onde ainda havia velas , carroças e coches, e ao mesmo tempo surgiam os primeiros arranha céus, pois a população aumentava e o espaço era pouco, então os engenheiros e arquitectos decidiram construir para cima.

Esta escrita é baseada em documentos da época, e torna-se aborrecida de ler como um livro normal, este é sem dúvida um livro de consulta histórica.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Maze Runner

Thomas, encontra-se num elevador, uma caixa, não tem memória, não sabe o que está a acontecer...
Quando finalmente o elevador para, as portadas abrem-se e outros jovens como ele olham-no com ar divertido. Puxam-no para fora, estão numa enorme clareira rodeada por gigantescos muros, um labirinto.

Thomas quer respostas, não percebe o que aconteceu, com o decorrer do tempo são dadas respostas vagas, pois ninguém sabe como ali foram parar. Todos têm tarefas, como se vivessem numa pequena cidade,só assim se mantém a ordem.

Thomas está ao mesmo tempo fascinado pelo labirinto, quer lá ir, quer achar a saída, pois acha que é capaz. Pouco depois da sua chegada, chega outro caloiro, uma rapariga, Teresa, que deixa os rapazes muito desconfiados e aterrorizados, pois nunca tal aconteceu. 

Teresa está em coma, mas antes consegue comunicar telepaticamente com Thomas, diz-lhe que o Fim está próximo, o labirinto é só um teste....


Foi um livro Fantástico, daqueles que não se consegue parar de ler, cada página é uma aventura, um novo acontecimento. O autor faz tudo acontecer lentamente ao longo do livro, ao contrário de muitos outros que guardam tudo para o fim. Cada página virada é um momento de suspense, ação e aventura. A escrita é simples, e bem estruturada, sem dúvida superior aos Hunger Games. Se gostam de distópicos , este e a trilogia Puros são o Top.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

A Rapariga que Roubava Livros


Liesel Meminger, foi entregue a uma família de acolhimente durante a 2º guerra mundial. Os nazis tinham-lhe levado o pai  por ser comunista, e a mãe não tinha possibilidades de a sustentar a ela e ao irmão mais novo. 

Liesel começa assim a sua nova vida com a família de acolhimente. Gosta de roubar ...livros, e isso salva-lhe a vida. O narrador é a Morte, inédito sem dúvida, que nos dá um panorama do sofrimento do povo alemão, especialmente os que faziam frente aos nazis.


Gostei muito desta leitura, foi magnífica, levei mais tempo a ler, pois li, reli, andei para a frente, para trás, foi fabulosa. Muito bem estruturada e fundamentada, leva-me a crer que foi baseada num caso verídico. É no entanto um livro pesado, pois os horrores de hitler, nunca poderão ser outra coisa. Fiquei impressionada, com todo aquele sofrimento, a maneira como a Morte torna tudo simples e 'bonito', é de facto um livro Fabuloso. Mais um autor que vou seguir.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Champion







Agora separados Day e June ocupam lugares de destaque na República. O tratado de Paz está para ser assinado entre Os Patriotas e a República. Thomas e a Comadante Jameson vão ser julgados e o veredicto será a morte por fuzilamento.


Mas acontece algo inesperado, a peste outrora controlada para matar o excesso de população, sofreu uma mutação e fugiu ao controlo dos humanos. Os Patriotas, anulam o tratado, os dois condenados conseguem fugir...


A cura da peste está em Eden (irmão mais novo de Day), depois de exposto à doença sobreviveu, a República quer submetê-lo a testes para produzir a vacina da cura.


Este último livro foi desastroso, mais parece um romance de cordel, onde a autora inunda as páginas com sentimentos de pré-adolescência, rodeada por um cenário futurista. No 2º livro , os dois jovens tinham-se separado porque acharam que não foram feitos um para o outro, June a menina rica habituada a luxo e Day o menino pobre, que vivia nas ruas. Neste último, continuou o romance como se nada tivesse acontecido. A história é basicamente à volta dos sentimentos, a ação não existe, a escrita é pobre, e no fim volta tudo ao pricípio, que tal??? Este foi o pior livro que li nos últimos anos, ultrapassando a Anne Bishop. Não dou classificação.

Ah, se isto chegou até nós assim, imaginem o trabalho do revisor para escrever esta...

sábado, 4 de outubro de 2014

Prodigy

A continuação de Legend, é bastante inferior ao 1º livro. June e Day fugiram para Las Vegas, onde são esperados pelos Patriotas. Verificam que um dos generais da República pertence também aos Patriotas. Razor DeSoto, tem já um plano para Day e June.


Enquanto isso, os soldados da República continuam a procurar June. O Elector morreu, dando lugar ao seu filho Anden. Razor e  os Patriotas põem o plano  em prática.
June deve voltar para a República, e tentar seduzir Anden, que mostrou grande interesse pela jovem quando esta apanhou Day. Enquanto isso, Day deverá assassinar Anden.


June deixa-se apanhar, e tudo corre como planeado, mas Anden não é como June o imaginava, Anden quer a Paz e a Unificação, June não o quer morto...


Há muitas semelhanças com Hunger Games, a capital, os rebeldes, o triângulo amoroso: uma mulher dois homens.

A escrita é pobre, a história é repetitiva, pois como referi no 1º livro, é contada duas vezes, do ponto de vista de June e do ponto de vista de Day. Não avança na trama, não define como os E.U.A. e o resto do Mundo ficaram destruídos. Fica a mexer nos personagens e nas suas emoções, e repete-se vezes sem conta. Escreveu Comandante Jamieson 10 vezes na mesma página?!!!

Não gostei dos personagens nem do ritmo da história. Daria 2 estrelas.



A Pérola - J. Steinbeck



A Pérola, é a história de Kino, da sua mulher e filho. Algures na costa da Bolívia, vive esta pequena família, mas uma pequena tragédia fez com que as suas vidas se modificassem para sempre.


O filho do casal, Coyotito ainda criança de colo, é mordido por um escorpião, a mãe retira com a sua boca o veneno onde o pequeno foi mordido, mas ainda assim procuraram o médico da cidade.  Quando lá chegaram bateram à porta, falaram com o criado, mas o médico não os recebe, pois são pobres e não podem pagar.


Kino, fica furioso, volta para a sua aldeia,  dirige-se à praia, pega na canoa, põe a mulher e o filho lá dentro e vai tentar apanhar uma pérola, para assim poder pagar ao médico.


Mergulha, e apanha várias ostras, no meio destas vê uma ostra enorme que se abre   por breves segundos, e pareceu-lhe que lá dentro estava qualquer coisa...


Vem para cima, abre a ostra e lá dentro estava uma pérola gigante...Kino vai viver uma aventura alucinante.....

Uma história maravilhosa, a escrita é magnífica e genial. Foi uma leitura fabulosa

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Deuses Americanos

A poucos dias de sair da prisão, Sombra é um homem que aspira apenas a desfrutar de alguma tranquilidade junto da sua mulher Laura. mas o destino prega-lhe nova partida e Laura morre num acidente de automóvel.

Sombra não tem mais nada, é obrigado a aceitar um emprego de um estranho, Quarta-feira. Mas este desconhecido era um deus antigo que está em vias de extinção, pois o povo já não o recorda, nem o festeja.

Sombra e Quarta- feira reunem o maior numero de divindades para se prepararem para o conflito final que será em breve.

Mais uma vez Gaiman consegue tranformar e distorcer a realidade tornando-a numa história Fantástica. Com alusões a vários deuses da mitologia antiga, (agora personificados) , o autor escreve e descreve os seus percursos em terras americanas.

Mais uma leitura Excelente, a não perder.

sábado, 27 de setembro de 2014

Legend




Legend, é sobre uma possível catástrofe natural que destrói os E.U.A. De um lado temos A República, (onde se concentram os orgãos do poder e militar), do outro As Colónias, que pretendem unificar o outrora E.U.A. , também chamados de Patriotas e inimigos mortais da República.

A República faz um trial a todas as crianças que atingem os 10 anos de idade. Pela pontuação conseguida nas provas,  são colocados nos diversoa sectores. Os mais desfavorecidos ocupam sempre os piores postos de trabalho, os mais ricos têm sempre um lugar no orgãos de poder ou militar.


June Iparis, irmã de Metias, tem 15 anos e atingiu uma média Brilhante 1500 pontos. Metias é comandante militar, e numa das habituais rusgas à cidade é morto por um 'arruaceiro' chamado Day, que não consta da base de dados da República, é um 'Fantasma'. June fica arrasada pois não tem mais familiares, e jura vingança. É promovida a capitão e vai para as ruas, fazendo-se passar por foragida,  encontra Day.


Mas o destino prega-lhe uma partida , Day tem 16 anos e é um lindo rapaz louro de olhos azuis, June acha-o o rapaz mais bonito do mundo, mas não se esquece que ele matou o irmão...


Prepara-lhe uma armadilha e a República prende-o....mas June não acredita que Day seja capaz de matar, a ficha dele mostra que é arruaceiro, mas nunca matou ninguém. June olha para as fotos da morte do irmão e vê algo estranho que iliba Day.


Mas é demasiado tarde, o jovem está preso e foi condenado à morte....será que June tem um plano para o salvar???

Leitura fraca, tem logo de início uma cena muito chocante, uma mulher mata a sangue frio a mãe de Day, no 3º livro ele fica com a responsável pela mulher que assassinou a sua mãe. Não dou pontuação de tão mau que foi o livro.