Super Kawaii Cute Cat Kaoani

segunda-feira, 30 de março de 2015

Brooklyn

Numa pequena vila irlandesa, Eilis vive com a sua irmã mais velha Rose, e sua mãe. Rose tem emprego fixo numa empresa, Eilis não tem perspectivas nenhumas. Um antigo padre da paróquia está de visita, à vila e faz uma proposta a Eilis, ela aceita e lá vai rumo a Brooklyn.
 
A história começa bem, num ambiente 'familiar' de um típico lar irlandês, mas a leitura não é nada interessante. A vida de Eilis é contada de uma forma muito aborrecida, onde nada acontece. Depois da chegada a Brooklyn, a vida dela é monótona, vai do trabalho para o quarto alugado, e do quarto alugado para o trabalho. Conhece um rapaz e casam em segredo, não se vê a boda, nem noivado, nem quase nada. Recebe uma má notícia da Irlanda, e volta a casa, mas também lá a narrativa é outra monotonia.A escrita é correta, simples, mas não apelativa. O leitor está sempre na expectativa de que a história comece. Foi uma péssima leitura, 1 estrela.
 
 

Trigger Warning

Tal como o nome indica, é um livro de short stories, o estilo é bizarro, comédia, e horror. Não há muito a dizer, mais uma vez Gaiman surpreende, com a qualidade da narrativa, das histórias e do bizarro ao qual nos habituou ao longo das suas obras.

Embora não seja grande apreciadora de short stories, a qualidade de Gaiman é excecional,  gostaria de salientar um conto em estilo de comédia: 'The Thing About Cassandra', que para mim foi inédito e totalmente surreal.Imaginem que estão a ler a história de um rapaz, que inventa que tem uma namorada para ninguém o chatear, mas no fim a história fica de pernas para o ar...conseguem imaginar caros leitores??? Pois nem eu. Muito bom 5 estrelas.

Comédia em Modo Menor

Este livro conta a história de um judeu escondido na casa de um casal holandês, que devido a uma pneumonia morre em casa dos mesmos. Em plena 2ª guerra mundial, os habitantes desta localidade holandesa, 'revoltavam-se' contra os alemães, escondendo indivíduos de origem judaica.

Tal como o nome indica é uma comédia negra, em tempo de guerra. A escrita é correta, mas não achei muita graça à história. Não há descrições, nem localizações específicas de onde a história se passa. A narrativa é constituída por diálogos entre o casal, o judeu Nico e toda a gente que os visita, incluindo o peixeiro. Para quem não queria que se soubesse que tinham um judeu escondido...enfim toda a gente sabia, daí ser comédia. Não gostei da história, daria 2,5 estrelas.

O Espião Português

André Marques Smith é assessor do MNE e ao mesmo tempo acumula as funções de espião ao serviço de uma agência semigovernamental britânica, CADMO.Nas suas variadas missões, viaja entre Lisboa, Londres, Estocolmo, Roma.
Mas a sua vida está prestes a mudar, revelações do seu passado vêm à tona, e André a modos que perde a sua identidade.

Gostei da escrita do autor, frases curtas, breves e sucintas, dão ao leitor um clima de suspense  ao mesmo tempo que  criam na mente,  uma imagem do que está a acontecer. A narrativa foi bem estruturada, alternando com passado e presente.
Quanto à história propriamente dita, achei que teve falhas, foi uma história 'fantasiosa' demais para um thriller. O autor deixou várias pontas soltas, e o clima romântico foi a atitar para o lamechas (imo). Não houve grande desenvolvimento dos personagens, e a identidade de André, não foi surpresa.No entanto, gostei do todo , daria 3 estrelas.

segunda-feira, 23 de março de 2015

The Picture of Dorian Gray

Dorian Gray é um jovem dandy, belo e encantador. É adorado (especialmente pelos homens), que o acham um ser Único. Basil o pintor, resolve então pintar um quadro de Gray. O quadro fica fabuloso, Dorian pensa que um dia vai envelhecer, e fica obssecado com a ideia de se tornar um velho feio, mas Basil enquanto pinta o quadro pensa que a beleza de Dorian permanecerá para sempre. O retrato é admirado por Lord Henry, que ouve elogios desmesurados de Gray por parte do pintor, e insiste em conhecer o jovem. Assim que se conhecem, ficam amigos para a vida, mas Lord Henry é uma péssima influência para Gray. Então o insólito acontece, o tempo passa, e Gray não envelhece, mas o seu retrato apresenta sinais de velhice e decadência.

Não entendi esta 'admiração' doentia que os homens sentiam por Dorian, tudo se centra à volta dele, por mais que o leitor queira apreciar o que está a acontecer à volta dos personagens, Dorian e a sua beleza desmesurada tomam conta da história. Não gostei da escrita, é simples e não me disse nada de novo, não é agradável, uma vez que corre tudo mal de uma maneira doentia. Achei uma história aborrecida, cheia de diálogos futeis e sem interesse. 

Siddhartha

H. Hesse conta-nos a história do jovem Siddhartha, filho de um brâmane, e do seu amigo Govinda. Siddhartha é adorado pelo povo, pelos pais, pelos amigos, onde quer que se encontre leva alegria e conforto a todos.
Mas o jovem não sente alegria pela vida que tem. Decide então partir com Govinda, para procurar explicações e sentido para a sua vida.

Hesse tem uma narrativa excelente, confronta os leitores com algumas questões existenciais, que fazem muito sentido. Talvez este livro não seja do agrado de muitos leitores, mas Hesse desenvolve de uma maneira extraordinária, a filosofia e ensinamentos budistas, pondo até em causa, certos princípios. Uma leitura interessante. 4 estrelas.

domingo, 22 de março de 2015

O Poço da Ascensão


Depois da morte do Senhor Soberano, Elend ascendeu a rei, o bando de Kelsier é seu conselheiro e Vin a sua guarda- costas. Lord Straff, pai de Elend, não quer  Luthadel entregue ao filho, um idiota sonhador, então faz um cerco à cidade com as suas tropas. Lord Cett prepara-se também para atacar, e monta o seu cerco perto de Lord Straff, mas Cett tem um exército de gigantes, os Colossos, com mais de 3m de altura.
Vin torna-se uma verdadeira arma mortífera, capaz de dizimar um exército, contudo as brumas que só chegavam de noite, cobrem a cidade também de dia, Vin acha que tem a haver com o Poço da Ascensão, a Profundeza, ali estão guardados muitos segredos do passado e do futuro, Vin decide ir até lá investigar...mas as coisas correm muito mal, as brumas agora Matam....

Sanderson brinda-nos com mais uma aventura espetacular. Ao contrário de outras trilogias, este livro a modos que 'inicia' uma nova etapa, um  novo começo da história de Luthadel. Uma narrativa cheia de intiga e traição. Com a introdução de novos personagens, a trama toma novas 'direções', e por isso o leitor é mantido no suspense e na expetativa. Com cenas de luta entre Alomantes fabulosas,com batalhas épicas e com um final totalmente desesperante e em stand by, o leitor (eu, neste caso) não consegue parar de ler. 5 estrelas.

domingo, 15 de março de 2015

Xerazade

'Xerazade', a protagonista desta obra maravilhosa, leva-nos aos mitos da Antiguidade, e às histórias infantis que todos nós conhecemos.Através de uma narrativa, absolutamente deslumbrante, Xerazade é mulher, irmã, amante, princesa, Deusa. O amante é personagem de destaque   neste sonho , é seu companheiro, irmão, rei , mendigo, carrasco, Deus Mitológico. Uma prosa musical, 'Xerazade' conta histórias de agora e de há muito tempo atrás. Tempos de vidas passadas, tempos onde se conheceram, no Egito, na Suméria, na Grécia, em Portugal, em Espanha. 


Este livro superou todas as minhas expetativas, difícil de descrever, pois é uma narrativa riquíssima, e alterna com o agora e com o 'antes', antes dos tempos, quero dizer. Uma viagem alucinante, de dois amantes (ou talvez não) através dos tempos, da Antiguidade, da Mitologia, da Fantasia, das suas vidas passadas, da reencarnação.  
O título do livro diz-nos qualquer coisa, 'a última noite' caros leitores, a última noite de uma amante que, com a morte a bater à porta vê em poucos segundos, toda a sua vida a passar com se num sonho estivesse. Mas essas memórias não se limitam à sua vida presente, essas memórias levam-nos até às encarnações passadas. Sublime!!!

quarta-feira, 11 de março de 2015

The Shock of The Fall

Este livro conta-nos a história de Matt Homes, um garoto de 9 anos, que tem um irmão com síndrome de Down. Uma das primeiras frases do livro é precisamente  Matt a afirmar que Simon , o seu irmão mais velho, vai morrer. Devido a um pequeno acidente, e à sua saúde precária não resiste ao cansaço e morre. Se lerem o livro entendem melhor esta morte.
A partir daqui, Matt culpa-se pelo acidente e começa a ter problemas mentais, torna-se mesmo esquizofrénico. Assim , Matt escreve a sua história sob o seu ponto de vista, o de um doente mental.


O livro está muito bem escrito, o autor até varia o tipo de letra conforme a disposição de Matt. Eu pessoalmente não gostei da história, e ler sobre doenças não é realmente a minha 'praia', mas apesar do tema  aparentemente doentio, lê-se bem, e Matt consegue realmente expôr toda a sua culpa e remorso, sobre a morte do irmão, de uma maneira 'saudável ' até. Não me vou alongar mais, pois não há grande coisa para dizer. Não gostei da história.

sábado, 7 de março de 2015

Últimos Ritos

Esta é a história de Agnes Magnúsdóttir, uma mulher de 34 anos condenada à morte. Foi acusada de ter esfaqueado um homem e em seguida ter pegado fogo à quinta do mesmo. Agnes era dotada de grande inteligência, era uma indigente e quase não teve infância. Sofreu maus tratos e abusos vários. Depois de ter sido expulsa da sua última família de acolhimento, Agnes vai trabalhar para Natan, o médico/curandeiro lá do sítio, que tinha um 'fraco' por mulheres, e por quem se apaixona.
Agnes, depois de sentenciada, chama  Tóti um padre que afirma ter conhecido há uns anos. Será ele que irá acompanhar os seus derradeiros passos. Enquanto aguarda a morte, Agnes fica em casa de uma família de lavradores, que a princípio não a quer lá, mas a relação diária com a condenada, faz a família mudar de ideia.

Foi uma excelente leitura, uma narrativa de grande qualidade, a autora conseguiu dar vida, ao que a princípio poderia ter sido uma história aborrecida e sem interesse. Mantendo sempre o leitor na expetativa, alternando os narradores, e dando a conhecer lentamente e de uma forma muito original , a verdadeira história de Agnes. Quero salientar que foi uma história verídica, e que tem toques de sobrenatural, Agnes, sua mãe biológica, e Inge sua mãe de acolhimento, tinham premonições. Agnes também as tinha, assim como Natan e vários outros personagens.
A autora prende o leitor com a excelência da narrativa, ao longo da mesma tem vários pontos altos, e termina com a descrição que Agnes fez, de como tudo aconteceu.Daria 4,5 estrelas por não ser uma ideia original e fiquei chocada com o final, oh pah :(

terça-feira, 3 de março de 2015

A Bastarda de Istambul

Zehlia, uma jovem  turca de 19 anos, vai a caminho de uma clínica, determinada a fazer um aborto. É uma mulher linda exuberante, com piercings, saias curtas e excessivamente pintada. Ao chegar lá, muda de ideias, e assim, uns meses depois nasce Asya, a sua filha bastarda. 

A família de Zehlia é composta só de mulheres,as suas 3 irmãs e um irmão, sua mãe e sua avó.Mustafa o irmão , para fugir à tal morte prematura devido a uma maldição, foi enviado para os E.U.A. Por lá casa com Rose, uma americana divorciada de um Arménio. Rose tinha já uma filha, Armanouche.

A história decorre 19 anos depois, quando Asya e Armanouche, cada uma no seu país são já maiores de idade. 

Este livro é sobre segredos e traições, perseguições e genocídio. Muitíssimo bem escrito e descrito, a autora dá-nos uma ideia perfeita dos conflitos políticos entre a Turquia e a Arménia sem se tornar aborrecida, pelo contrário, esta parte é a dos segredos, e revelações. A narrativa decorre no presente e no passado, e pode ao princípio causar alguma confusão derivado aos nomes, mas é muito cativante, pois por trás desta história há grandes segredos, e isso mantém o leitor sempre na expetativa.Tem também grandes 'doses' de sobrenatural, pois uma das irmãs de Zehlia era vidente, via o futuro e o passado, falando com o seu djinn. Uma história muito interessante, não obedecendo a nenhum clichê, tendo momentos de algum erotismo (qb), humor e um desfecho brutal, que ninguém espera. 4 estrelas, gostei muito.